sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Sumiram peças da Casa de Anita

No ano de 2016, por duas vezes o Museu Casa de Anita, ao lado da Matriz, foi arrombado.
Do seu interior, conforme informado pela prefeitura à época, foram surrupiados dinheiro referentes à arrecadação de ingressos. Cerca de R$ 120,00 e R$ 300,00, respectivamente. A placa em bronze, frontal da edificação, já havia sido roubada. Mais tarde foi substituída por uma outra.

Pois bem. Fotos feitas ontem na Casa de Anita demonstram que também sumiram peças de seu acervo. E o sumiço se deu de janeiro de 2015 para cá.
Vejamos. Em 27 de janeiro de 2015 a TV Unisul fez uma reportagem sobre a Casa e seu acervo.

Nas imagens da Unisul (aqui) aparecem, por exemplo, nas prateleiras de uma cristaleira, diversos utensílios domésticos como bule, gomil, xícara, decanter, vaso, etc., inclusive uma sopeira branca em louça francesa, século XIX, além de outro vasilhame tipo jarro d’água, na cor azul. Um total de 13 peças.
Veja: 
Foto de filmagem feita em janeiro de 2015.
Na foto feita ontem, só restam 11 peças na cristaleira. Duas peças desapareceram misteriosamente. Não por acaso, as maiores em tamanho. 

Veja abaixo:

Foto feita ontem.
Sumiram a sopeira branca em louça francesa, século XIX, além de outro vasilhame tipo jarro d’água, na cor azul.
Eis as fotos das duas peças que desapareceram:



Esta duas canastras (baús) com cerca de 150 anos, sumiram.

Essas duas canastras (baús) de ferro (foto acima) que também existiam na Casa de Anita, peças com cerca de 150 anos, trazidas pelos imigrantes italianos quando vieram para a região sul do estado, lá também não se encontram mais. Mas aparecem nas filmagens feitas em janeiro de 2015, e em outra filmagem mais antiga, de setembro de 2013.

Alguém tem de ser responsabilizado pelo sumiço das peças. Onde estão? Não seria o caso de acionar o Ministério Público? o Iphan? A Polícia Federal? São peças de valores históricos, um patrimônio nacional que está se perdendo. Laguna não é patrimônio nacional? Ou está valendo somente para prédios?

Não sei se já está sendo feito, acredito que ainda não, um completo inventário dos acervos do Museu Anita Garibaldi e Casa de Anita, que desde o dia 1º de janeiro retornou à alçada da Fundação Lagunense de Cultura.

O ex-secretário de Turismo, gestão passada, possuía o livro Tombo com as doações nominais efetuadas desde a criação dos dois Museus.
Sabe-se que muitas peças, com o passar dos anos, sumiram de seus interiores e até do exterior, como foi o caso do Sino do Museu Anita Garibaldi, roubado em 4 de agosto do ano passado.

Digo que o inventário tem de ser feito urgentemente pela nova administração, através da Fundação Lagunense de Cultura, até para que seus titulares se resguardem de responsabilidades no futuro, demonstrando com isso a herança recebida.

Mas divulguem o resultado.

3 comentários:

  1. Primeiro o museu, aliás se for levantar o acervo deste vai também faltar muita coisa. Tem ainda a igreja do padroeiro que já levaram muita coisa. Tá na hora de alguém ser responsabilizado.
    João Carlos Nunes

    ResponderExcluir
  2. Muito estranho! Peças bem escolhidas. Se não foi "ladrão de casa", as peças foram encomendadas.

    ResponderExcluir
  3. Fico muito triste com essas atitudades.
    Com certeza não são peixes pequenos nao, a praticar tamanha maldade.
    Vivi dentro do museu quando menor , apreciava cada louça , talheres móvel , mastro e muitos outros itens, simplismente viaja no tempo com aquele acervo. Hoje fico pasma com a falta de tudo aquilo. Como podem surrupiar tantas coisas valiosas e ninguém fazer nada? Uma história que vai se apagando. Isso não é justo!!!!

    ResponderExcluir