quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Câmara da Laguna cassa mandato de vereador

Os vereadores da Laguna estiveram reunidos na noite da última segunda-feira (29) para votar o relatório da Comissão Processante que apurou denúncias contra o vereador Antônio Cesar da Silva Laureano (MDB).
Divulgação/CML
O presidente da Câmara já havia solicitado que a Secretaria Legislativa convocasse o suplente do PP, pois o vereador Roberto Alves  (PP) estava impedido de votar nesta matéria por ser o denunciante.
O 6° suplente do Partido Progressista, Jairo Abílio Mendonça, o “Jairinho da Ponta das Pedras”, foi quem votou no lugar de Roberto Alves.
Os outros cinco primeiros suplentes (Luiz Otávio Pereira, José Luiz Siqueira, Hirã Ramos, Jackson Barbosa e Antônio da Silva) desistiram de assumir a cadeira alegando incompatibilidade de horário e problemas particulares.

O vereador Rodrigo Luz de Moraes (PR) – relator – leu o relatório, sugerindo a cassação e perda do mandato de Laureano. O edil processado está preso desde novembro de 2017, na operação “Seival” do Departamento Estadual de Investigação Criminal – Deic.
A defesa de Laureano foi sustentada pelo advogado Luiz Carlos Rovaris, que falou por aproximadamente 1h20min.
Em seguida o presidente do parlamento, Cleosmar Fernandes, colocou o relatório em votação.

O relatório favorável a cassação e perda do mandato do vereador foi votado e aprovado por unanimidade pelos 12 vereadores presentes, com exceção do vereador Kléber (Kek) Roberto Lopes Rosa (PP) que não compareceu à sessão.
 Além de perder o mandato, Antônio Laureano, ficará inelegível por oito anos. Ao final foi lida e aprovada a Ata da Sessão.
Nádia Tasso Lima, 1ª suplente, que já ocupa o lugar de Laureano, passa a ser titular da cadeira no parlamento Lagunense.

Um comentário:

  1. Qual foi a desculpa pra esse vereador não ter ido votar? É vergonhoso.
    Geraldo de Jesus

    ResponderExcluir