quinta-feira, 28 de julho de 2016

Casa de Anita foi arrombada e furtada

Na noite da última terça para quarta-feira, o Museu Casa de Anita teve sua porta lateral arrombada.
Do interior os larápios retiraram certa quantia em dinheiro proveniente da arrecadação de ingressos, cerca de R$ 300,00.

Nenhuma peça do acervo foi levada, conforme o secretário de Turismo Iberê Aguiar Jacques, que ainda informou que um Boletim de Ocorrência foi registrado na delegacia de Polícia.

Todas as 18 câmeras de monitoramento voltadas à segurança do patrimônio histórico lagunense não estão funcionando.

Móveis são retirados do Museu Anita Garibaldi


Moradores da Praça República Juliana estranharam nesta manhã de quinta-feira (28) quando alguns móveis eram retirados do interior do Museu Anita Garibaldi e embarcados numa camionete.


Procurei o secretário de turismo Iberê Aguiar Jaques, cuja pasta agora os  dois museus da Laguna estão subordinados.

Ele informou que se trata de alguns expositores que pertenciam ao acervo Garibaldino, do arquiteto e escritor Wolfgang Ludwig Rau, então situado na Casa Pinto d'Ulysséa, e que foi transferido da Fundação Lagunense de Cultura para Udesc, em cessão de comodato pela Fundação Catarinense de Cultura.

Como a Udesc não quis os tais móveis eles foram colocados provisoriamente no Museu e agora transferidos para um depósito da prefeitura, situado no andar térreo de um prédio ao lado das Docas.

O secretário ainda informou que uma licitação está sendo preparada com vistas à recuperação desse mobiliário e que todo o acervo dos Museus Casa de Anita, e Anita Garibaldi será listado, numerado e identificado. Para tanto uma museóloga foi contratada pela Fundação Lagunense de Cultura.

Com esse trabalho, um completo inventário (arrolamento) será realizado, um batimento com o livro tombo que ao final irá mostrar as peças faltantes ao longo dos anos.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Vamos ajudar a Solpra?

A Sociedade lagunense de proteção aos animais (Solpra), que presta um elogiado e necessário serviço de utilidade pública, através de suas esforçadas voluntárias, está necessitando de ajuda financeira.
A Solpra não recebe nenhum tipo de verba pública.

São dezenas, centenas de cachorros e gatos abandonados em situação precária, sofrendo enfermidades, atropelamentos e fome.
São levados para clínicas veterinárias para castração, vacinas, cirurgias e lar de passagem.

Para colaborar, deposite qualquer valor na conta da entidade ou diretamente nas clínicas Vital, Amigo Bicho (Mar Grosso) e Mercodog (Portinho):

Solpra
Banco do Brasil: 001
Agência: 5356-2 
Conta: 215.027-1
CNPJ: 04.447.433/0001-40

domingo, 24 de julho de 2016

Jantar de confraternização da Escola Comendador Rocha

Com um jantar de confraternização na noite da última sexta-feira (22), na churrascaria Peralta, diretores e professores da Escola de Educação Básica Comendador Rocha comemoraram o encerramento de mais um semestre letivo.
O diretor do estabelecimento escolar Norberto Pedro Amorim e o assessor de direção Joel dos Reis deram as boas vindas ao pessoal e seus familiares.
O evento ainda foi abrilhantado pela voz de Gean Pierre, que fez a turma cantar e dançar num clima descontraído e com muita alegria. Fiz alguns registros:











sábado, 23 de julho de 2016

Bodas de Ouro

Neste sábado, em cerimônia a ser realizada na igreja Sagrada Família, em Gravataí (RS), meus tios maternos Terezinha e Loureiro Pacheco da Lapa, comemoram Bodas de Ouro de uma feliz união.
Após a missa, recepção no salão paroquial.

Eis um belo exemplo de quem soube enfrentar e superar as vicissitudes da vida mantendo-se unidos no amor ao longo de todos esses anos.

Desejamos saúde e muitas felicidades ao querido casal, que possui casa em nossa cidade e sempre que pode está entre nós, seus familiares e amigos.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Memória curta. Cadê as homenagens à velha guarda esportiva da Laguna?

A frase de Ivan Lessa, “O Brasil é um país que esquece a sua história a cada 15 anos”, resume um dos mais graves problemas culturais do Brasil.
Não sei é se ainda são quinze anos. Lessa a escreveu no início da década de 70, no jornal O Pasquim. Acho que o esquecimento hoje se dá a cada cinco anos. Ou até bem menos.

Nada contra as homenagens a alguns esportistas quando do evento do revezamento da Tocha Olímpica no último domingo, na Praça República Juliana. Merecidamente. 
Mas bem que os jovens organizadores poderiam ter incluído alguns velhos esportistas da Laguna. Ou vocês acham que a história dos esportes na Laguna começou há poucos anos, em suas administrações?

Por que não homenagear um Dalmo Faísca? Um Nelson Souza (Dedinho)? Um Miguelito? Um João Alfredo (Babá) Dias? Um Luiz Paulo Carneiro? Um Mengálvio Figueiró?

Por que não homenagear o ex-prefeito Mário José Remor que implantou e inaugurou o Estádio Municipal e foi um dos fundadores do Laguna Esporte Clube (LEC)?

Um Munir Soares que organizou durante anos os campeonatos infanto-juvenis de futebol de salão no ginásio de esportes, retirando jovens da ociosidade e até do vício?

Eis meia-dúzia de nomes, só para citar alguns exemplos. Há outros. São pessoas que deixaram um legado esportivo graças aos seus méritos, perseverança, esforços e ideais.

E bem por isso, merecem sempre a nossa homenagem. Nunca o esquecimento.

PS: Acrescentando mais alguns nomes, conforme sugestão do nosso estimado leitor Renato Amaral: as bodyboards Soraia Rocha e Juliana Pacheco.

José

E agora, José? 
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio — e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse...
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, para onde?

______________________________________
Carlos Drumond de Andrade
In Poesias
Editora José Olympio, 1942

Sinceramente?

Chega de dar publicidade a medíocres e suas mediocridades.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Domingo acontece o revezamento da Tocha Olímpica na Laguna

Foto: Divulgação
O revezamento da Tocha Olímpica, que acontece neste domingo na Laguna, vai causar interdições e mudanças no trânsito, das 9h30min às 10h30min. 
Um comboio composto por 28 veículos, batedores, agentes da força nacional e representantes dos patrocinadores do evento vão circular pelas ruas do Centro Histórico com o símbolo das olimpíadas.  

Polícia Civil deflagra operação blackout que apura fraude em licitações

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio Público (DCCPP) da Diretoria Estadual de Investigação Criminal (DEIC), na manhã desta sexta-feira, 8 de julho, juntamente com as Divisões de Defraudações (DD) e de Lavagem de Dinheiro (LAB/LD) da DEIC, deflagrou uma operação denominada "BLACK OUT", que culminou na prisão de seis investigados – sendo quatro preventivas e duas temporárias. Além disso, quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos em residências na Comarca de Laguna e em Pescaria Brava/SC.

A operação policial é fruto de investigação realizada pela DCCPP/DEIC que apurou crimes de fraude em licitações, uso de documento falso, peculato e associação criminosa envolvendo empregados públicos da CELESC e particulares (sócios de empresas). De acordo com as investigações, a fraude consistia na utilização de documentos falsos para forjar a participação de outras empresas não participantes e ao final do procedimento licitatório era contratada empresa de um dos investigados.

As fraudes apontam também que outras duas empresas que faziam parte do mesmo grupo familiar dos investigados teriam recebido indevidamente mais de R$ 645 mil por terem vencido licitações na CELESC e não prestado os serviços contratados. Apesar dos fatos terem sido praticados em 2010, a prisão preventiva dos investigados foi decretada, visando assegurar a garantia da ordem pública, uma vez que há provas recentes dos investigados praticando fraudes em outros procedimentos licitatórios espalhados pelo Estado de Santa Catarina.
Após os procedimentos de polícia judiciária, os presos serão encaminhados ao Sistema Penitenciário da Capital, onde permanecerão à disposição da Justiça.
Fonte: Polícia Civil SC

quarta-feira, 6 de julho de 2016

A sujeira continua na Laguna. Monumentos estão abandonados

Na segunda-feira mostrei a situação em que se encontram as paredes frontais e externas da Carioca, um dos cartões-postais da Laguna e que abastece de água a população.

Pois os monumentos públicos, bustos e estátuas estão  também completamente abandonados, sem maiores manutenções.
Além da falta de iluminação, a sujeira, o caruncho, o zinabre vão tomando conta das peças.

O Monumento ao Trabalhador, na rótula entre os bairros Magalhães e Mar Grosso é um dos exemplos.

O Monumento a Jerônimo Coelho é outro. Placas de identificação sujas (as que ainda existem), pedras ornamentais, calçadas e bases quebradas.

 
A estátua de Anita Garibaldi, tão decantada pelos administradores e políticos quando se fala em história, cultura e turismo, está às escuras, além de pessimamente conservada, necessitando de limpeza (zinabre) e conservação, através de aplicação de produtos químicos necessários. Agora passaram a furtar as luminárias queimadas e fiação.
 


As estátuas do fundador Domingos de Brito Peixoto, de Nª Senhora da Glória (precisando de limpeza e pintura), os bustos de Garibaldi, do padre Manoel João, do dr. Paulo Carneiro, o monumento ao Tratado de Tordesilhas ...


Enfim, não vou me alongar. TODOS, absolutamente TODOS os monumentos estão abandonados e precisando de manutenção.
O abandono demonstra desleixo e pouco caso com nossa história e cultura.

De nada adianta participação em seminários, workshoppings, portais turísticos, outdoors, panfletos e divulgação maciça na mídia, se o básico, o arroz com feijão não é feito. 

  

É muito amadorismo e desleixo. E já estamos cansados de desculpas esfarrapadas. 

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Limo toma conta das paredes externas e frontais da Carioca

Olhe o estado em que se encontram as paredes externas onde estão localizadas as torneiras da Carioca.

Limo, mofo e bolor dão um aspecto feio e desagradável ao úmido local.

Demonstram desleixo e falta de higiene, inclusive porque podem trazer diversos malefícios à saúde. 
Fala sério, dá vontade de beber água num local com esse aspecto externo?

É dessa maneira que se faz turismo na Laguna? É um belo exemplo de cartão-postal? 

Antigamente a manutenção era feita pelo próprio zelador do local, com um pouco de água sanitária (alvejante) ou vinagre, escovão e depois uma demão de tinta. Ou precisa fazer licitação para realizar esse pequeno serviço?

O mata-mata ou a cadeia alimentar da política?

Grafite do Projeto Trilhando Cores, da Cufa, 
na parede do prédio da antiga empresa Nipo Brasileira.
O desenho serve como exemplo da cadeia alimentar da política lagunense?
A política no Brasil, e aqui na Laguna não poderia ser diferente, lembra o mata-mata de torneios de futebol onde em seu final nada sobra. 
Ou melhor, sobram poucos vencedores. Morrem quase todos abraçados, infelizes e amargurados, acusando-se mutuamente. 
É a cadeia alimentar também da política. O primeiro e pequeno peixinho amarelo somos nós, desprotegidos e indefesos, devorados pelos tubarões. 

Aliás, lembra igualmente, e muito bem, o final do filme Cães de Aluguel, do Tarantino, remember? Sobra fogo pra todo mundo.

Foi-se o tempo em que ao fim e ao cabo salvavam-se todos, como a gente dizia na época de guri.
Hoje o mocinho acusa o bandido, o bandido acusa o mocinho e a gente não sabe mais distinguir um do outro. Quem estará com a verdade? Sobrará alguém?

Aguardemos os próximos e emocionantes capítulos até as eleições de 2 de outubro.

Carta branca não!

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil publicou nos grandes jornais do país, neste fim de semana, uma carta aberta ao presidente da República.
No documento fala que a corrupção entre agentes públicos e empresas de construção civil no país foi “facilitada em obras que começaram sem um projeto completo e detalhado do que deveria ser construído”.

Mesmo assim, diz a nota, o Congresso Nacional acaba de aprovar um projeto de lei permitindo que todas as 250 empresas estatais do país adotem esse modelo. Bem por isso a entidade solicita ao presidente que vete esse trecho do PLS 555/15.

Agora pensem vocês. Se com projeto executivo, completo e detalhado feito antes da licitação, já acontecem vários atos de má gestão, má qualidade nas obras, além de corrupção praticados entre agentes públicos e empresas, imaginem sem esse controle por parte do Legislativo e Tribunais de Contas?

Bem por isso não deve dar carta branca a qualquer gestor para aplicar verbas no que bem quiser. Seja a verba qual for e venha de onde vier. Não é assim que a coisa funciona.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Beto no Planejamento foi vapt e vupt!

Apenas uma semana, não mais que isso. Esse foi o prazo de permanência de Humberto da Silva Costa como secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Urbano e Social da prefeitura da Laguna.
Humberto solicitou sua exoneração agradecendo o convite. Voltará a exercer a sua função na Secretaria como engenheiro agrimensor. Laguna com isso perde um ótimo e correto servidor de carreira à frente daquela secretaria.

A nota da prefeitura fala que ele “assumiu o cargo temporariamente”.
Cá pra nós: bota temporariamente nisso. Vapt-vupt. 

Pelas internas dizem que o salário teria sido o principal motivo, já que passaria a receber menos do que recebe atualmente, acrescido de bonificações, etc. 

Enfim. Nesta sexta-feira (1º) assumiu o cargo a arquiteta Grazielle Sitônio Duarte, conforme portaria do último dia 29 publicada no diário oficial de hoje.

Grazielle já tinha exercido a função no período de 2014 e 2015. Atualmente, estava na Secretaria de Turismo coordenando projetos, principalmente, do Pac das  Cidades Históricas. 
Projetos, aliás, que encontram-se em compasso de espera, em banho-maria, aguardando aprovação ou liberação de verbas. 

Escultora de Voltaire feita por Houdon é doada ao Museu

Maria Olívia juntamente com o secretário Iberê
quando da doação da escultura.
Uma das esculturas mais famosas da imagem de Voltaire, um filósofo espirituoso e corajoso, feita por Jean-Antoine Houdon, foi doada ao Museu Anita Garibaldi no último dia 28, pela professora aposentada Maria Olívia Rodrigues. Outras peças da coleção de Houdon estão no Louvre, em Paris.

Neta do jornalista Antônio Bessa, dono do jornal O Albor, um dos primeiros jornais da Laguna, Maria Olívia Rodrigues foi escritora de artigos do jornal e professora de música em Laguna, Rio de Janeiro e Florianópolis.

Embora atualmente não more em Laguna, faz visitas constantes e não deixou de destacar o amor que sente por esta terra. “Laguna é uma cidade muito rica, o Brasil precisa conhecê-la melhor, e acima de tudo deve valorizar a belíssima historia e sua valiosa bagagem cultural. Essa peça doada ao museu é um voto de confiança na herança cultural e histórica que temos aqui”, enfatiza.

Sua família morou por alguns anos na Europa e na Rússia, por isso, seus avós foram contemplados com o rosto em bronze de Voltaire, uma peça de 1778. Já estando na família pela terceira geração, Maria Olívia, decidiu doar a peça ao museu, para contribuir com a riqueza histórica da cidade Juliana.

O secretário de Comunicação e Turismo Iberê Aguiar Jaques espera que a ação sirva de incentivo para que outras peças sejam doadas ao museu. Ele também avalia que “é uma honra receber uma peça valiosa como esta, nos mostra que as pessoas ainda acreditam no valor cultural e têm confiança em nós. Uma peça dessas, de importância internacional aqui, é um grande presente para o nosso município que completa 340 anos”, ressalta.
Fonte: PML

terça-feira, 28 de junho de 2016

Os anti-heróis anônimos

Durante grande parte de sua vida, Richard Calil Bulos, o Chachá, de saudosa memória, mais até do que as artes plásticas exerceu o jornalismo em nossa cidade. Bem por isso fundou inúmeras publicações e foi redator de várias outras.
Foi mestre na arte de escrever e de produzir uma manchete chamativa, com pinceladas sensacionalistas. Em seu estilo registrou muitos acontecimentos do dia a dia da cidade. Ele sabia criticar, elogiando e extrair de um pequeno fato a seiva do texto que prenderia a atenção dos leitores.

Era justo em seus escritos aos elogios a personalidades políticas, empresariais ou autoridades que se destacavam na sociedade à ocasião.
Crédito: Marengo/ Gente da Minha Terra,
de José Bessa.
Mas também  sabia fazer o mesmo ou até melhor com os desvalidos pela sorte, com os não agraciados pela riqueza e sobrenomes, pedintes e andarilhos que perambulavam pela nossa Laguna. Os chamados “tipos populares”. Estes sempre o foram em grande quantidade, em todas as épocas.
Vitória, Felipe da rebeca, Edite, lata, Arina, Sovai, Biguá, Clemente, Ibraim, Jiki, Clóvis, Quintino... Foram tantos.

O lagunense José Bessa, em seu livro “Gente da Minha Terra”, retratou muito bem alguns deles, pequenos e humildes, a quem os chamou de “anti-heróis anônimos que em certa medida exprimem a alma coletiva, ensinam verdade humana abeberada na fonte”.

Quando do falecimento dos que mais se destacavam na sociedade lagunense, nosso jornalista Chachá produzia matérias memoráveis, despedidas emocionantes tecendo loas aos seus nomes e destacando posições galgadas e currículos.

Mas também encontrava tempo e espaço no jornal para registrar igualmente a morte dos que viviam à margem da sociedade, como se convencionou chamá-los.
Eram seres humanos com seus dramas e infelicidades, suas manias, vícios e psicoses.
 Seres humanos... Para Chachá era o que bastava. Precisa realmente de algo mais?
Até porque, cumpridos seus resgates, suas jornadas terrenas, muitos desses personagens, ditos populares, podem estar hoje em melhores moradas espirituais.
Talvez, e bem ao contrário de alguns outros figurões que tiveram discursos elogiosos, cortejos pomposos, enterrados com seus títulos e vaidades. Estes, ainda podem estar vagando perdidos, odiosos e odiados, mergulhados em seus segredos, mesquinharias e maldades de uma vida.

A título de curiosidade busquei em meus arquivos de antigos jornais, dois pequenos textos obituários produzidos pelo Chachá.
São registros de humildes falecimentos de conhecidos personagens populares que marcaram época e gerações na história da nossa Laguna.
Mas observem as singelezas dos textos! As expressões de facetas sentimentais e poéticas nos despretensiosos apontamentos de um adeus.

...E os sinos emudeceram
Ao contrário do romance “Por quem os sinos dobram”, de Ernest Miller Hemingway (editado em 1940), os sinos da Matriz Santo Antônio dos Anjos emudeceram no justo instante em que o errante Quintino, diante da igreja, em caixão de degradante qualidade, era carregado rumo ao cemitério público, na tristonha manhã de 15 do corrente.
Momentos antes, eles haviam repicado, lenta mas sucessivamente, em sinal de adeus à uma dama da nossa sociedade , que, por infelicidade, tivera em data igual o mesmo destino que ele.
Que Quintino não trabalhava ou não gostava de trabalhar lá isso é verdade. Todavia representou para Laguna a imagem do indolente sem ser nocivo, do vagabundo que, se à época de Charles Spencer Chaplin, teria servido de inspiração ao inconfundível ator e cineasta inglês, criador da personagem dolorosamente cômica de Carlitos.
Quem conhece a produção literária de Hemingway, verá que os nomes dados a duas de suas obras se amoldam, por ironia, a este fato que narro com pesar:
- Por quem os sinos dobram?
- Eles dobram por ti, por nós, por todos.
“O sol também se levanta” (editado em 1926). Por sua vez, traduz que o sol também se levanta para as criaturas pobres, como o fora em vida o Quintino.

A cidade perdeu Clóvis
Clóvis de tal. Que Deus o tenha na sua guarda infinita e inviolável.
Pobre criatura de ontem. Palhaço de muitos, escravo da desilusão e do infortúnio.
Clóvis, o farrapo humano que carreteava pelas ruas centrais em busca de alimentos e de míseros cruzeiros. Um ser desajeitado, sem atrativos físicos e proprietário de grave deformidade psíquica.
Ele, como muitos afirmam, não morreu da bebida. Na realidade, Clóvis conheceu a morte e com ela se foi devido ao pouco caso que a sociedade lagunense lhe endereçava.

Morreu sem conhecer um prato de comida ladeado de garfo e faca, sem conhecer a intimidade de uma mulher, sem haver tido sobre o corpo uma roupa decente.

Tudo junto e muito, muito misturado

Dizem que em política não existem inimigos, somente adversários.
Mas tem gente na Laguna exagerando nos reatamentos de antigas amizades. 

Até porque as rupturas pareciam ter sido bem feias. Brigaram, discutiram, ameaçaram e xingaram os antigos parceiros. 

Alguns assim o fizeram porque perderam a teta da vaquinha, sempre farta e generosa no leitinho. Outros porque, chamados de culpados há mais de três anos pelo conjunto da herança maldita, escorraçados que foram nas eleições passadas, com o povo demonstrando sua insatisfação. 
Hoje já estão juntinhos novamente.

Alguns até continuam zombando e xingando. Mas pelas costas, nas esquinas, falsos que são. Ou pelas redes sociais. É o tal negócio: inimigo de inimigo meu agora é meu amigo.

Fotos e encontros em bares e restaurantes estão rolando por aí, deixando muitos eleitores indignados, porque acreditaram em mudanças. Mas mudanças com essa gente? Não nos enganemos.

O que se pode constatar com tudo isso? 
Que eles se merecem, ora bolas!

sábado, 25 de junho de 2016

Justiça determina que prefeitura da Laguna dê atenção aos animais de rua

Em decisão proferida ontem, sexta-feira (24) pela Justiça, a prefeitura da Laguna deverá instituir, em caráter emergencial, serviço municipal de atenção aos animais de rua, com obrigações que vão desde o cadastramento da atual população felina e canina até a castração cirúrgica quando necessária, além da realização de campanhas educativas de conscientização para a guarda responsável de espécimes domésticas.

De acordo com a providência, os prazos para implementação variam entre 10, 30 e 90 dias.
A decisão partiu do juiz Paulo da Silva Filho, titular da 2ª Vara Cível da comarca de Laguna, que concedeu tutela provisória de urgência em ação civil pública promovida pela organização não governamental Sociedade Lagunense de Proteção aos Animais (Solpra).
O descumprimento das medidas resultará na aplicação de multa diária no valor de R$ 1 mil.

Everaldo deve desistir de reeleição, diz jornal

O comentário deste sábado pela cidade é uma matéria estampada no jornal Diário do Sul de hoje.
Ela fala sobre uma possível desistência do atual prefeito Everaldo dos Santos à reeleição. Indicaria em seu lugar o médico Zeno Alano Vieira.
Aliás, fato já antecipado há algumas semanas aqui neste Blog, não é mesmo leitor? 

Everaldo, em entrevista coletiva na próxima segunda-feira (27), informa o jornal, anunciará oficialmente sua desistência. 
Deve ter chegado à conclusão de seu desastre político-administrativo à frente da prefeitura nesses últimos 3 anos e meio.

Zeno Alano tem comentado nas rodas políticas lá pras bandas do Iate Clube, que só aceita se for o candidato de consenso dentro do PMDB. Quer dizer, não quer bater chapa.
Logo, para isso se concretizar, Mauro Candemil teria que desistir de concorrer. O que acho muito difícil de acontecer.
Mas em política...

Consenso no PMDB lagunense? Como? Aonde? Faz me rir.

Para ler a matéria do Diário do Sul, basta clicar aqui.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Meio Ambiente da Laguna é tema de reportagens

Dois jornais desta sexta-feira trazem matérias sobre o meio ambiente da Laguna.
O Jornal Notisul estampa reportagem sobre o aparecimento, novamente, de peixes e aves marinhas mortos na Lagoa Santo Antônio dos Anjos.
Por falar nisso, quais foram os resultados dos exames dos materiais coletados ano passado, quando também o fato também se sucedeu? Até hoje desconhecemos.

A outra reportagem, do Diário Catarinense, fala sobre a mortandade de botos em nossa região. É provocada pelo ciclo biológico? Ou  se deve a outros fatores, como poluição e pesca predatória?

Para ler as reportagens basta clicar aqui e aqui.

O problema foi na rebimboca da parafuseta

Alguns leitores me ligaram avisando que não estavam conseguindo postar seus comentários neste Blog.
De fato. Por alguns detalhes técnicos ou como se diz popularmente, problemas na rebimboca da parafuseta, alguns posts ficaram sem a janela para os leitores postarem “comentários”.

Já foi resolvido.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Laguna vai receber três peças teatrais

De 23 de junho a 26 de julho, o Sesc realiza a Mostra de Teatro EmCenaCatarina em 26 cidades do Estado. Nos minifestivais são apresentados gratuitamente os três espetáculos selecionados nesta edição: “UZ”, da Cia. La Vaca, de Florianópolis; “Fadas”, da Essa é Cia. de Teatro, de Joinville; e “Todo Passa”, Cia. de La Curva, de Chapecó.

Na Laguna as apresentações acontecerão nos dias:

27/6, o espetáculo “UZ”, Cia. La Vaca;
28/6, "Fadas", da Essa é Cia. de Teatro
29/6, “Todo Passa”, Cia. de La Curva.

Todas as peças serão apresentadas no Cine Teatro Mussi, às 20 horas.

Canil deve ser regularizado pela prefeitura, determina Justiça

Justiça da Laguna determinou, em liminar, que o município interdite e regularize o canil da dª Isabel, situado na Barbacena.

Na decisão, também foi determinado providências quanto ao atendimento veterinário adequado, “diante do excesso de animais no local, até que ocorra a apreensão e sua destinação nos termos das leis municipais que regem a matéria”.

O Ministério Público alega “o fato de o canil público se encontrar interditado não impede que tome medidas pontuais para sanar canis particulares clandestinos, eis que a questão não se restringe apenas à proteção dos animais e transforma-se em um problema de saúde pública”. 

Reportagem está estampada no Jornal Diário do Sul desta quinta-feira. Aqui.

Fiscais da prefeitura embargam obra no Morro da Glória

Na tarde de ontem fiscais da prefeitura embargaram as obras que estavam sendo realizadas de forma irregular nos altos do Morro da Glória.
Assunto também mereceu requerimento do vereador Andrey Pestana de Farias (PSD) na sessão desta quarta-feira, citando inclusive matéria publicada neste Blog na manhã de ontem. Aqui
A notícia do embargo foi publicada no site da prefeitura no fim do expediente de ontem mesmo. Quanta rapidez!

Eis a nota da prefeitura:

Foto: Divulgação PML
A construção de uma edificação no topo do morro da Glória chamou a atenção dos moradores da Cidade Juliana. Os fiscais da secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico e Social, foram até o local e constataram diversas estacas erguidas para colunas de forma irregular.