sexta-feira, 31 de março de 2017

“A imprensa denigre a imagem da Laguna”, afirma vereador


O vereador Kleber Lopes Rosa (PP) no Grande Expediente da sessão da Câmara de quarta-feira última disse, sem citar nomes, que “A Laguna tem uma raça de políticos que não querem o bem da cidade”. 

O vereador Kek tem toda razão quanto a isso e deve saber bem do que fala. Ele mesmo deve conhecer vários desses políticos de perto, principalmente nos últimos quatro anos.

Só que o vereador foi além e disse também que “A imprensa denigre a imagem da Laguna noticiando os fatos”, como a criação da CPI.
Aí o vereador errou redondamente. Quer dizer agora que a imprensa é a culpada?

Quem cria os fatos quase que diariamente, para o bem ou para o mal, são vocês políticos ou pessoas ligadas de alguma maneira aos políticos, com suas palavras, decisões, CPI's, denúncias, posts em redes sociais, entrevistas, críticas, elogios e reviravoltas.

A imprensa, nobre vereador, incluído jornal, rádio e tv, está aí para isso mesmo: noticiar os fatos. Ou não é assim que deve ser? O vereador conhece outra maneira?

A não ser que queira pintar um cenário todo rosa, de uma Laguna inexistente, de um conto de fadas de Lewis Carroll, como Alice numa cidade das mil maravilhas. Ou silenciar sobre os acontecimentos.

 Meu repúdio as suas palavras quanto ao papel da imprensa.

Exposição “Coisa-Poema nº 3” da artista Suyan de Melo no Cine Teatro Mussi

A abertura da exposição será neste sábado, 1º de abril, às 20h, no Cine Teatro Mussi, promoção do Sesc, com visita guiada e conduzida pela artista, com intérprete em LIBRAS e leitura de textos da artista.

Nascida em Araranguá, Suyan de Melo se dedica à produção artística nas áreas literária e visual.
Publica literatura (poemas, crônicas, contos e letras de música) desde os vinte anos; nas artes visuais, desde criança produz esculturas, assemblagens, colagens, tear, em quadros e outras peças, utilitárias ou não, sempre num processo intuitivo e investigativo de técnicas, materiais, suportes e referências.

Em seus projetos visuais sempre produz a partir de resíduos, chamando atenção, de forma lúdica, para o reuso de materiais e o impacto ambiental gerado pelo lixo cotidiano de todos nós.
Sócia-fundadora do Instituto Cultural Chachá, no Centro Histórico da Laguna, lá, em 2014, abriu sua produção visual ao público pela primeira vez com a exposição “Coisa-Poema, Mulheres e Vasos”, onde expôs em dueto com o escultor Paulo Pelentir, cofundador do Instituto.

Em junho de 2016 veio “Coisa Poema nº. 2”, exposição especialmente produzida para integrar a programação da semana do meio ambiente da Comarca da Laguna, onde a artista trabalha como técnica judiciária.

Agora, em “Coisa Poema nº. 3”, o talvez principal traço de sua assinatura artística se mantém fiel: todas as peças, parcial ou integralmente, passam pelo crivo da produção reutilizando materiais que de outra forma acabariam no lixo.

Todas sendo sempre pensadas singularmente, em fazeres que mesclam técnicas como colagem, pintura, desenho, mosaico, frotagem, costura, tear e outras, num processo que traduz curiosidade, necessidade e principalmente liberdade de criar. 

Abertura: 1º de abril de 2017 às 20h
Período da exposição: 2 abril a 15 de maio de 2017
Local: Cine Teatro Mussi – Espaço de Exposição
Horário: Aberto à visitação todas as quartas-feiras das 13h às 16h, das 18h às 20h e domingos das 18h às 20h. Agendamento para grupos ou escolas pelo telefone 3644-0152. Gratuito.

*****
Mais informações no Sesc, central de relacionamento com o cliente pelo telefone 48-3644-0152.

A todos os mentirosos, dos mais variados graus:

“Mentiram-me ontem e hoje mentem novamente,
Mentem de corpo e alma, completamente.
E mentem de maneira tão pungente
Que acho que mentem sinceramente.
Mentem, sobretudo, impunemente
Constroem um país de mentira - diariamente”.

(Afonso Romano de Sant'Anna)

quinta-feira, 30 de março de 2017

Fácil ou difícil?

Um amigo me contou que estava, dias atrás,  numa rodinha de conversa em Florianópolis, quando um deputado dos mais conhecidos exclamou que era muito complicado trabalhar por Laguna, que a Laguna era difícil.
- E o que você respondeu, indaguei.
- Nada, abaixei a cabeça e simplesmente concordei. O que você diria no meu lugar?
Bem, você poderia ter respondido ao nobre deputado:

- Deputado, com todo respeito que tenho pela sua pessoa, a minha terra pode ser difícil, e acho que até é mesmo, mas pelo jeito Laguna fica facinha, facinha somente de quatro em quatro anos, quando o senhor lá aparece – quando aparece - para buscar seus preciosos votos e depois some!

Lançamento de livro

Nesta sexta-feira (31), às 17h, acontece na sala de eventos do Iphan, o lançamento do livro “Laguna: uma análise sobre o discurso de cidade histórica”, Editora Unesc, de autoria do ex-professor desta universidade, João Batista Bitencourt.
A obra tem o intuito de trazer uma representação da identidade da cidade.

Prefeito reduz Cosip

Prefeito Mauro Candemil revogou neste mês de março, o Decreto nº 4.734/2016, da gestão passada, que implicou no aumento elevado de valores cobrados a título de COSIP - Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública.
Foto: Marco Bocão/PML/Divulgação
De acordo com a Procuradoria do município, o aumento previsto no Decreto revogado, fora demasiado e ultrapassou os índices de aumento da energia elétrica do exercício anterior.

Em razão do cenário de crise que assola o país, e visando corrigir o equivoco, o prefeito determinou que a cobrança da COSIP passe a vigorar por meio do Decreto n°.4.537/2015, que prevê cobrança de valores menores, e sem o reajuste do imposto.

"Atualmente o valor arrecadado é suficiente para cobrir os custos com iluminação pública da cidade. Não vejo motivo para aumentar a taxa e nosso objetivo é contribuir para a economia da família e das indústrias lagunenses", salienta Mauro.

Com a alteração, percebe-se redução drástica na cobrança da taxa COSIP. No Decreto revogado o valor máximo cobrado por imóvel residencial era de R$ 559,12 por ano, hoje, o valor máximo é de R$ 266,34 por ano. Já para indústrias, no Decreto revogado o valor máximo era de R$ 20.708,00 por ano, hoje, o valor máximo é de R$ 773,46 por ano.

Fonte: PML

Na mosca:

"Honestidade é um produto muito caro, por isso não a espere de gente barata!"

Não é verdade?

quarta-feira, 29 de março de 2017

My Way - Maravilhoso em qualquer tempo



(...)”E para que serve um homem, o que ele tem?
Se não ele mesmo, então ele não tem nada,
Para dizer as coisas que ele sente de verdade
E não as palavras de alguém que se ajoelha
Os registros mostram, eu recebi as pancadas
e fiz do meu jeito”(...)

Vai e vem na direção de escolas

As 4 diretoras das escolas municipais Pequeno Cisne-Caic, Pequeno Príncipe, Escola da Caputera e do Morro Grande, que foram exoneradas por portarias assinadas pelo prefeito Mauro Candemil na quarta-feira, 22/3, já retornaram as mesmíssimas funções e locais de origem.

Portarias nomeando-as em data de 23/3, apenas um dia depois de serem exoneradas, as reconduzem novamente aos mesmos cargos e locais e foram publicadas no Diário Oficial de hoje.
O que terá causado tão intempestivos atos?

Esse vai e vem gera uma intranquilidade...

Na parede da memória

Turma de formandos de  do Grêmio do Sesc de 1967 de nossa cidade. do Colégio Comercial Lagunense – CCL.
Mauri Candemil, Pedro Paulo Silva, Mauro de Paula Carneiro, Cabinho Rosa, Valdete Carola (Ferreira), Maurício de Paula Carneiro, Antônio de Pádua Heleodoro de Souza, Djalma Reis, Ariosvaldo Moreira e Flávio Goulart Barreto.
A jovem sentada à mesa em frente aos formandos é Maria da Graça Pereira Lopes.
Falta reconhecer dois alunos, o leitor sabe quem são eles?

Para ampliar basta clicar na foto.

PS: Encontro Ariosvaldo (Ari) Moreira e ele me informa que a foto na verdade é de membros de um Grêmio do Sesc de nossa cidade e não de formandos do CCL. Já corrigi no texto.



terça-feira, 28 de março de 2017

Rolam cabeças na prefeitura

Desde a semana passada várias cabeças em cargos comissionados rolaram na prefeitura.

Na sexta-feira, com uma só canetada, prefeito Candemil exonerou sete nomes em cargos, entre eles a presidente da Fundação Irmã Vera, a adjunta da secretaria de Habitação e Assistência Social, e as diretoras das Escolas de Morro Grande, Caputera e Caic. Além da diretora do departamento de Apoio/Saúde e da diretora do departamento de Projetos Sociais da Fundação Irmã Vera.

Nesta segunda-feira o Diário Oficial publicou a exoneração da diretora da C.E.I. Pequeno Príncipe. 
Sem falar no pedido de exoneração do vice-prefeito Júlio Willemann do cargo de presidente da Fundação Lagunense do Meio Ambiente - Flama.
Virão mais?

Já escrevi aqui várias vezes, que quem assume um cargo comissionado, de confiança, como se diz, sempre está, nunca é.
Está secretário, está assessor, está presidente de Fundação, está diretora de escola.

A continuidade ou não no cargo vai depender de acordos políticos costurados, meras picuinhas daqui ou dali, como o vereador que indicou o nome ao cargo, votar ou não neste ou naquele projeto, dizer sim a uma CPI, etc. Ou do prefeito acordar certa manhã de mau humor. É dele a palavra final.

Mas há quem não compreenda essa verdade.

Evidentemente em todo início de uma nova gestão - e se não foi feito pelo antecessor - é praxe as trocas da maioria dos nomes, até porque o novo prefeito tem que compor sua equipe dita de confiança.

Há problemas quando essas mudanças acontecem com a gestão já em andamento, com aulas começadas e todo um trabalho iniciado dessas pessoas nos respectivos cargos.

Os trabalhos, planos e projetos são interrompidos, sofrem descontinuidade e aguarda-se pelas novas nomeações, pelo recomeço dos trabalhos. Até a coisa engrenar de novo...

Isso gera um desgaste administrativo e político, além de trazer enorme insegurança ao quadro dos comissionados. Afinal, muitos se perguntam, quem poderá ser o próximo? Estarei na lista? Serei eu, senhor?

Do lado esquerdo do peito

Outro assunto bastante observado na coletiva de imprensa de ontem, foi a presença do vereador Antônio Laureano (PMDB), que votou a favor da criação da CPI, sentado ao lado esquerdo do prefeito, em lugar de destaque.

Enquanto isso os vereadores Kleber Lopes Rosa (PP) e Thiago Duarte (PMDB), que votaram contra a CPI e por isso obviamente sofrem desgastes políticos, e que estavam sentados do outro lado, não devem ter gostado nadinha.

Hoje pela manhã no programa Batista Cruz, Tono afirmou que hoje votaria contra a CPI, tendo em vista os últimos acontecimentos e a mudança de posição da servidora pública quanto às denúncias formuladas, dizendo ela em documento registrado em cartório, que foi coagida por algumas pessoas a fazê-lo.

Então tá.

Onde anda o vice-prefeito?

Bastante comentada ontem na coletiva de imprensa no gabinete do prefeito Mauro Candemil, a ausência do vice-prefeito Júlio César Willemann. Até por que seu nome e cargo estão incluídos na CPI criada pela Câmara de vereadores e o momento é grave.

Ainda semana passada Willemann solicitou sua exoneração da presidência da Fundação Lagunense do Meio Ambiente – Flama,  com data retroativa em 21 de março, conforme já publicado neste Blog.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Escolhidos presidente e relator da CPI

Na tarde da última sexta-feira (24), os vereadores integrantes da CPI, que vai investigar denúncias de possíveis irregularidades praticadas pelo Poder Executivo, estiveram reunidos na sala das comissões para definir o presidente e o relator da comissão.

Formada pelos vereadores: Adilson Paulino (PSD), Antônio Laureano (PMDB), Rhoomening Rodrigues (PSDB), Patrick Mattos de Oliveira (PP) e Rodrigo Moraes (PR), a comissão tem até 60 dias para apresentar um parecer definitivo sobre as denúncias apresentadas contra o prefeito e vice-prefeito.

Os vereadores Rhoomening Rodrigues e Rodrigo Moraes foram eleitos presidente e relator da CPI, respectivamente.

O presidente da CPI, vereador Rhoomening Rodrigues, ressaltou a importância do Poder Legislativo neste processo, “nós temos o dever de fiscalizar, é isso que vamos fazer, respeitando à independência dos poderes. A população lagunense exige uma resposta da Câmara sobre essas denúncias” destacou Rodrigues.

Para o relator, vereador Rodrigo Moraes, “a missão é esclarecer os fatos, para isso à CPI vai buscar todas as informações. Se ao final, a investigação encontrar indícios de irregularidades praticados pelos denunciados, vamos relatar. Da mesma forma se não houver, vamos apontar no relatório. Até agora não existe culpados, são denúncias e por isso vamos analisar tudo isso”, disse Moraes.

O presidente da Câmara, Cleosmar Fernandes, foi comunicado da escolha da presidência e relatoria da CPI, ainda na tarde de sexta-feira.

Um novo encontro da Comissão acontecerá nesta terça-feira (28), onde será preparada uma agenda de visitas e coleta de depoimentos.

Fonte: C.V.L - Assessoria de Imprensa.

Entrevista coletiva do prefeito Mauro Candemil

O prefeito da Laguna, Mauro Vargas Candemil se manifestou em entrevista coletiva, na manhã desta segunda-feira (27), para tratar de vários assuntos relacionados a sua administração nesses primeiros meses de governo.

Na ocasião, o chefe do Executivo também se posicionou quanto à instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pela Câmara Municipal da cidade.
Prefeito Mauro Candemil na coletiva de imprensa, tendo ao lado alguns vereadores,
entre eles Antônio Laureano (PMDB), que votou a favor da criação da CPI.
Foto/ Divulgação/PML.
Candemil - sem a presença do vice Júlio Willemann, frise-se - iniciou sua fala destacando que seu objetivo como prefeito, desde o início de sua gestão é fazer um mandato participativo. Citou que, na última semana esteve sozinho em Brasília, nos gabinetes de deputados e senadores no Fórum Parlamentar e que nenhum vereador se predispôs em acompanhá-lo para conseguir recursos para Laguna.

"Eu sempre quis uma Câmara parceira, porque meu principal objetivo é resgatar Laguna. Eu tenho a iniciativa privada de braços abertos, me aguardando voltar, mas eu não quis. Preferi lutar pela prefeitura dessa cidade", frisou.

Quanto aos questionamentos apurados em sessão da Câmara, referente às obras executadas provenientes do desastre que aconteceu na cidade no final de dezembro, o prefeito afirmou que aditivos apontados são de contratos da gestão passada, exceto um. "Todos foram analisados pela atual gestão, corrigidas incongruências; todos pactuados com suporte em pareceres do corpo jurídico da PML, para que não houvesse solução de continuidade ou interrupção de serviços essenciais.

Enquanto isso, foram elaborados novos editais para novas licitações para atendimento das necessidades inadiáveis do nosso Município", destacou.

Sobre a denúncia de uma servidora da 18ª ADR de supostas irregularidades, o prefeito salientou "que repudia qualquer alusão de minha participação, como Secretário Executivo, em qualquer ato ilícito. De qualquer maneira já temos provas, que foram protocoladas no Ministério Público. Friso que são denúncias inverídicas, armada por pessoas com a finalidade de obterem vantagens e criar obstáculos à minha administração".

Durante o encontro, o prefeito apresentou aos representantes da imprensa um documento entregue pela denunciante do departamento jurídico da 18ª ADR e que deixa claro que a intenção é propor um golpe institucional. "Neste documento, a denunciante afirma que foi coagida por algumas pessoas de má fé", salienta o prefeito.

Na oportunidade Mauro falou também sobre a luta para conseguir verbas e aprovações da Câmara para grandes projetos para a cidade. "Preciso unir forças, preciso que os vereadores comecem a enxergar a cidade como um bem para todos. Sem intenções apenas politiqueiras. Os recursos existem, mas sozinho eu não vou conseguir".

Penitenciária Industrial
O prefeito frisou que a proposta de instalação da penitenciária está descartada. "Eu apresentei algo que me foi sugerido e poderia trazer investimentos para a cidade. Mas, se o povo não quer, não vai ter", destacou.

Dívidas governos anteriores
Sobre a atual situação financeira do município, o prefeito salientou que a dívida já acumula um valor superior a R$ 29 milhões. "A cada dia nós temos uma nova posição. São dívidas acumuladas, de gestões anteriores, desde 1999. Mas, mesmo com este valor acumulado, conseguimos honrar as folhas de pagamento, os consignados de novembro e dezembro. Gostaria do reconhecimento. Temos feito o máximo possível".

O prefeito ainda salientou que a população não pode esquecer do que já foi feito por ele, como secretário da ADR com a ajuda do vice-governador, Eduardo Moreira. "Temos hoje a instalação da UTI, a Udesc com o curso de Engenharia de Pesca, a SC-100. São ações encabeçadas por mim", destacou.

Novos projetos
Alheio as denúncias, o prefeito salientou que irá continuar batalhando, junto de seu secretariado, que estava presente em peso na reunião, para realizar e dar andamento a todos as necessidades da cidade.

"Não posso admitir que Laguna continue estagnada. Vamos sim atrás de soluções para nosso Terminal Pesqueiro, iremos sim continuar lutando pela estrada da Barbacena, nosso esgoto será solucionado junto a Casan. E ainda, estamos atrás de recursos para um parque solar para nossa Ponte Anita Garibaldi, mais emendas e apresentação de projetos em vários Ministérios.

Pretendemos fazer, mas preciso somente de ajuda e incentivo. Vamos pensar na cidade, apenas", finalizou.

Fonte: PML

Pecados políticos

São vários os pecados políticos cometidos pelo atual prefeito Mauro Candemil, a despeito de sua boa vontade e inteligência em querer conduzir Laguna a melhores caminhos de desenvolvimento econômico e social. Um sonho dele de quarenta anos e de todos nós eleitores que acreditamos em sua candidatura.

São erros graves de estratégia política, de falta de habilidade política cometidos desde o início do seu mandato, a começar pela eleição à presidência da Câmara e a relação com os vereadores. 
Açodamento (ou demora) em algumas decisões e nas respostas à população, fogo amigo(a) e cruzado, marketing mal feito ou não existente da gestão, trato inadequado com a imprensa, ruídos na comunicação com a população, respostas - algumas raivosas - nas redes sociais, falta de rumo e de mostrar liderança à população.

Há erros políticos primários sendo cometidos pelo prefeito e alguns de seus assessores, que beiram até a ingenuidade ou amadorismo!

Há que se pensar numa readequação de estratégias, sentar com algumas lideranças políticas, ex-prefeitos, ex-vereadores e ouvir, ouvir muito. E por em prática – sem teimosia e rapidamente - alguns dos conselhos de quem realmente conhece o funcionamento dos intestinos políticos da cidade, principalmente a nossa, que tem características próprias.

Prefeito, ouça seu coração e os verdadeiros amigos e familiares de longa data. Fuja de companheiros de undécima hora.

O processo como um todo, está sendo conduzido – com apenas três meses de governo! - para um caminho que pode não ter volta, principalmente na relação entre os poderes Executivo e Legislativo, podendo jogar Laguna numa crise político-institucional sem precedentes.

Não merecemos passar por mais essa.

Willemann pede exoneração da Flama

O vice-prefeito Júlio César Willemann pediu exoneração do cargo de presidente da Fundação Lagunense do Meio Ambiente - Flama.

Portaria com data de 23 de março (quinta-feira), retroativa a 21 do mesmo mês (terça-feira), assinada pelo prefeito Mauro Candemil foi publicada no Diário Oficial de hoje.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Feira de produtores locais da Laguna

Você sabia que toda sexta-feira tem feira de
produtores locais no centro histórico da Laguna?

Tudo que é vendido ali é feito artesanalmente por eles mesmos, com alimentos vindos da própria terra. São produtores da Barbacena, Ribeirão Grande e Ribeirão Pequeno que vendem hortaliças, verduras, frutas, queijos, mel, biscoitos, nata, geleias, pães, bolos, salgados, carnes, salames e outros alimentos de tradição local.


“Aqui a gente planta o que dá na época. É coisa pura, que a terra nos dá, sem nada de veneno”, afirma José de Bem, conhecido como Deco, natural do Ribeirão Grande.

Comprar e consumir produtos vindos de produtores locais é uma forma de incentivar a economia da cidade. Além de ser uma maneira de você conhecer a fonte do que está consumindo.


Ivente Carboni, da Barbacena, acorda cedo e passa o dia anterior inteiro produzindo o que vende na feira. A produtora, que tem apoio da Epagri, traz alimentos integrais e sem aditivos químicos. São empadas, calzones, pizzas, barquetes, biscoitos, bolos, pães, bijajica (feito com amendoim), biroró (feito com batata doce), mel e geleias. “Posso garantir que tudo é produzido manualmente e com ingredientes que planto no meu terreno”, reforça.

Há cerca de quatro anos Ivete participa da feira e garante que já tem clientes fiéis, mas afirma que eles precisam de mais incentivo. “A estrutura precisa melhorar e assim atrair mais produtores. Essa feira poderia ser uma referência no centro histórico”, disse.

Carne local
Albertino Marcelino oferece na feira carnes de produtores da região, como costela suína, salame, linguiça, lombo suíno, torresmo e morcilha.
Com as denúncias desta última semana, divulgadas após a Operação Carne Fraca da Polícia Federal, fica o alerta. Busque consumir carnes de frigoríficos da região e procure conhecer a procedência.

Sustentabilidade
Afinal, fala-se tanto em sustentabilidade, mas na prática pouca gente sabe o que é. Mas você sabia que consumir de produtores locais e incentivar a economia regional é uma atitude sustentável? Esse hábito se perdeu com o tempo e a invasão dos industrializados.
Procure saber a fonte do que você consome e como ele é produzido. Isso ajuda a cidade em que você mora e produtores da região. É melhor para todos.

Serviço:
Local: Praça Paulo Carneiro, Centro Histórico, em frente ao Mercado Público.
Horário: Das 6h30 às 11h30

Fonte: PML/Fotos: Gisele Elis/Divulgação

quinta-feira, 23 de março de 2017

Vagas abertas para o curso de Libras

Um bate-papo sem palavras, as mãos como portadoras da comunicação. Assim serão as aulas de libras realizadas na sede da Associação de Pais e Amigos dos Surdos da Laguna (Alpas). 

As aulas, ministradas em parceria com professores da Ufsc, irão ocorrer na sede da entidade, no bairro Esperança, aos sábados, das 13h30min às 17h, com certificação. 
A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é utilizada por deficientes auditivos para
 a comunicação entre eles e entre surdos e ouvintes. (divulgação)
O que é Libras?
A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e entre surdos e ouvintes. A ideia do curso é promover a conversação e contribuir com a inclusão.
Na Laguna, conforme número da Associação, são aproximadamente 60 surdos. "Queremos unir forças para a inclusão cada vez maior dos surdos na sociedade", explica a presidente da Alpas, Crisiane Bez Batti. 

Quem pode participar
Podem participar pais, professores ou qualquer pessoa interessada em aprender ou conhecer mais sobre libras. 
O método não é apenas uma medida paliativa para se estabelecer algum tipo de comunicação com os deficientes auditivos, mas é uma língua natural como qualquer outra, com estruturas sintáticas, semânticas e morfológicas. A diferença básica é que ela também utiliza a imagem para expressar-se. 

Localização das mãos
Para determinar o seu significado, os sinais possuem alguns parâmetros para a sua formação, como por exemplo, a localização das mãos em relação ao corpo, a expressão facial, também a movimentação que se faz ou não, na hora de produzir o sinal entre outros. 

Outra particularidade simples, que facilita o entendimento da língua, os verbos aparecerem todos no infinitivo e os pronomes pessoais não serem representados, sendo necessária apontar a pessoa de quem se fala para ser entendido. Há ainda algumas palavras que não tem sinal correspondente, como é o caso dos nomes próprios. Nessa situação, as letras são sinalizadas uma a uma para expressar tal palavra.

Mais informações
Com Crisiane Bez no (48) 99800-0210 ou no (48) 98475-3428

Fonte: PML

Penitenciária: Audiência Pública será marcada

Na movimentada sessão de ontem da Câmara, o vereador Osmar Vieira (PSDB) também protocolou outro requerimento solicitando a realização de uma audiência pública a ser realizada sobre o projeto de implantação de uma penitenciária na Laguna.
A matéria foi aprovada por unanimidade, pelos 11 vereadores presentes.

Portanto, em data e local ainda a ser marcados (talvez o Centro Cultural Sto. Antônio), acontecerá audiência pública visando discutir a questão, mesmo que não haja até agora oficialmente um projeto ou documento enviado pelo governo do estado, a ser analisado.

A realização de um plebiscito chegou a ser ventilada por alguns vereadores, mas esbarrou no alto custo de sua realização.

Aumento de cargos comissionados: projeto foi rejeitado

Na sessão de ontem da Câmara de vereadores, também foi rejeitado em primeira votação por 8 votos a 3, o projeto 005/17, oriundo do Executivo municipal, que alterava o percentual de cargos comissionados por servidores efetivos, de 20% para 10%. 
O assunto já foi abordado aqui

quarta-feira, 22 de março de 2017

Por 8 votos a 3, criada CPI na Câmara para investigar denúncias contra prefeitura

Na sessão desta noite, vereador Osmar Vieira (PSDB), protocolou requerimento nº 107/17 para criação de uma CPI - Comissão Parlamentar de Inquérito.
O requerimento foi aprovado por 8 a 3, em votação nominal.
Foto: CML/Divulgação
A comissão é para investigar denúncias apresentadas pelo vereador Osmar, de possíveis irregularidades e ilegalidades na atual gestão, em licitações, contratações e pagamentos da prefeitura a empresas, por conta de restaurações e recuperações de vias públicas tendo em vista a enxurrada de 29 de dezembro do ano passado. Além da não publicação desses atos no Diário Oficial do município. 
Aditivos em contratos de anos anteriores em serviços de locação de software para a secretaria de Saúde, pagamento de combustível e aditivo no contrato para iluminação pública também constam do documento, que é dividido em seis partes.

O requerimento ainda traz denúncias da servidora pública estadual Simone Braga contra gestores da SDR, hoje agência de Desenvolvimento Regional, sobre possíveis irregularidades em licitações naquele órgão em 2016. O requerimento do vereador pede apuração dessas denúncias.

Sobre as denúncias da servidora, penso que a Câmara de vereadores não tenha competência jurídica para esse tipo de investigação. Caberia ao MP, Tribunal de Contas, TRE, e/ou Assembleia Legislativa. Aliás, foi o que argumentou o vereador Thiago Duarte (PMDB), que votou pela não aprovação ao requerimento.


Membros da comissão:
São membros da CPI os vereadores Adilson Paulino (PSD), Patrick Mattos Oliveira (PP), Rodrigo Moraes (PR), Rhoomening Rodrigues (PSDB) e Antônio Laureano (PMDB).

Votaram sim a CPI os vereadores:
Adilson Paulino(PSD)
Antônio Córdova Laureano (PMDB)
Cleosmar Fernandes (PMDB)
Osmar Vieira (PSDB)
Patrick Matos Oliveira (PP)
Peterson Crippa Silva (PP)
Rhoomening Rodrigues (PSDB)
Rodrigo Luz de Moraes (PR)

Votaram não a CPI os vereadores:
Kek Lopes Rosa (PP)
Rogério Medeiros (PP)
Thiago Alcides Duarte (PMDB)

Ausentes os vereadores:
Roberto Carlos Alves (PP) (Ausência justificada com atestado médico).
Valdomiro Barbosa de Andrade (PMDB).

Projeto cria novamente a secretaria de Pesca e Agricultura

Projeto de Lei Complementar 006/17 do Executivo enviado para apreciação e votação na sessão da Câmara de vereadores na noite de hoje, cria novamente a secretaria municipal de Pesca e Agricultura (Sepagri).

Com status de secretaria, ela havia sido extinta na gestão passada do prefeito Everaldo dos Santos, sendo mesclada à secretaria de Transportes e Obras do município, visando o enxugamento da máquina pública, conforme divulgado à época.

Pois o prefeito Mauro Candemil quer novamente a criação da secretaria de Pesca e Agricultura em seu governo. 
O objetivo, diz uma das justificativas apresentadas ao projeto “É criar a secretaria considerando o alto potencial para o desenvolvimento sustentável, familiar, artesanal e industrial, nas áreas da pesca e agricultura, sendo o setor pesqueiro e agrícola uma das principais atividades econômicas do município”.

Outra das justificativas apresentadas, é que ela atende “uma solicitação da comunidade pesqueira, produtores rurais e industriais e sindicato dos pescadores”.

São 8 novos cargos que serão criados
O organograma da nova secretaria de Pesca e Agricultura prevê, lógico, a criação de oito novos cargos em comissão na pasta. Um secretário, um adjunto, além de 2 gerentes e mais 4 cargos de Integrador. Sem falar numa secretária, motorista, aluguel...

É dessa maneira que se quer enxugar a máquina? Assim fica difícil.

A turma “são” fogo

Se o Brasil não é para amadores, como disse certa vez Tom Jobim, Laguna também não o é, numa lição que amargamente muita gente já aprendeu, e rapidinho, principalmente na política.

A turma na Laguna não “são” fácil, já dizia um velho deitado. No que outro complementava:
-A turma “são” fogo!

O pessoal aqui é capaz de reconhecer alguém que esteja “discostas”, à noite e a distância. Basta uma rápida olhada no corte de cabelo ou na maneira de andar.
Se tu leitor duvidar, se tu bobear, a turma te reconhece até pela tua bunda!

Cruz credo! Eu hein?

terça-feira, 21 de março de 2017

Sindicato dos servidores da prefeitura reuniu-se com vereadores

Reunidos na Sala das Comissões, na última segunda-feira (20), os vereadores Peterson Crippa (PP) e Rodrigo Moraes (PR), ambos, membros da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final, receberam Azomar Miranda - presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Laguna, e o servidor Alex de Bem.


Na ocasião foram apresentados ajustes – pelo sindicato – ao polêmico Projeto de Lei Complementar 005/17, de autoria do Poder Executivo, que altera o percentual mínimo de servidores efetivos em cargos de comissão, de 20% para 10%.

Azomar Miranda, diz que o que se quer “ é garantir os direitos dos servidores públicos, aliado ao equilíbrio das contas públicas”.
“Esse encontro com Comissão foi muito proveitoso, tenho certeza que não faltará dialogo sobre o projeto. Saímos confiantes que o Poder Legislativo está fazendo sua parte”, acrescentou Miranda.

Os vereadores Rodrigo Moraes e Peterson Crippa comprometeram-se em apresentar uma emenda com os referidos ajustes ao projeto, que irá para primeira votação na sessão de amanhã.

O caldeirão vai ferver?

Notícias dos senadinhos da cidade hoje pela manhã, dão conta que o caldeirão político vai ferver na sessão desta quarta-feira (22) na Câmara de vereadores.

O que será que pode entrar em pauta na última hora para causar tão grande rebuliço? 

Atualizando às 19:35m 
1) Na pauta de reunião que foi divulgada hoje à tarde, constam apenas para primeira votação, o Projeto de Lei Complementar nº 006/17, oriunda do Executivo, que cria novamente a secretaria de Pesca e Agricultura. Na gestão anterior esta secretaria havia sido extinta e mesclada à secretaria de Transportes e Obras.

2) E a 1ª leitura do Projeto de Lei Complementar nº 005/17, também oriundo do Executivo, que altera o percentual mínimo para ocupação de cargos comissionados por servidores efetivos.

Repercussões sobre a manifestação

Dois jornais diários da região desta terça-feira destacaram, inclusive como matérias de capas, as manifestações de ontem à tarde contra a construção de uma penitenciária na Laguna.
Para ler o Diário do Sul aqui
Para ler o Notisul aqui

segunda-feira, 20 de março de 2017

Manifestantes protestam contra construção de penitenciária

Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico da Laguna, conforme amplamente divulgado, esteve reunido na tarde desta segunda-feira (20), a partir das 15 horas no auditório do Iphan.
(Fotos: Elvis Palma, Valmir Guedes Jr. e Gê Luiz Cunha)


Em pauta o absurdo projeto de construção da penitenciária industrial à entrada de nossa cidade.
A secretária estadual de Justiça e Cidadania, deputada Ada Lili Faraco de Luca, faria uma exclamação sobre o assunto. Era aguardada ansiosamente pelos presentes, mas não compareceu.
Foi comunicado aos participantes que a secretária estaria numa audiência com o governador. O secretário-adjunto Leandro Antônio Soares Lima esteve em seu lugar, apresentando dados técnicos e prestando esclarecimentos.

Na Praça Vidal Ramos, mais de 150 pessoas manifestaram seu repúdio à construção da penitenciária em nossa cidade, com apitos e vaias, inclusive a alguns membros do Conselho que já demonstraram de alguma forma apoio à obra. 
"Laguna unida jamais será vencida", "Leva para Içara", "Queremos empresas", "Laguna vai dar resposta nas urnas", "Penitenciária não, emprego sim" e "Não à penitenciária", eram algumas das frases escritas nos cartazes de protesto.


Prefeito Mauro Candemil também foi vaiado à sua entrada ao recinto e pode perceber sonoramente o repúdio veemente dos manifestantes (inclusive muitos eleitores seus que se consideram traídos com esse projeto) à construção da famigerada obra.

Para o vereador Peterson Crippa (PP) que é membro do Conselho, esteve presente na praça e também na reunião e é contra a construção, "A reunião foi pífia, uma fala bacana de um projeto ideal" disse Crippa.
"Eu acho que não deveria nem ter mais audiência pública, deveria matar isso na raiz, já que a proponente, a dª Ada nem compareceu", desabafou o vereador.

Na praça junto aos manifestantes também lá estiveram os vereadores Kek Lopes Rosa(PP), Tono Laureano (PMDB), Osmar Vieira (PSDB) e Rhoomening Rodrigues (PSDB), que já se manifestaram contra a construção da penitenciária.
Prefeito Mauro Candemil chegando para a reunião do Conselho
No fim e ao cabo, audiências públicas serão marcadas ou um plebiscito, a definir. Mas tudo será em caráter de urgência. 
O que se percebe é que há pressa, muita pressa, porque os R$ 36 milhões (valor primeiramente falado, agora já passou para R$ 46 milhões) poderão retornar ao governo federal ou o dinheiro irá para construção do presídio em outro município. Fala-se em São Bento do Sul.
Pois então que vá!