segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Programação Sesc/Cine Mussi - Mês de dezembro/2015

Grande novidade para este mês de dezembro no Cine Mussi, é a (re)apresentação do primeiro filme exibido naquela casa de espetáculos, quando de sua inauguração em 17 de dezembro de 1950.
A Valsa do Imperador, um romance musical, será exibido em duas sessões. No dia 16 (quarta-feira) às 19h30m e dia 20, (domingo) às 20h. 

(Por que não, pergunto eu, programar para um dia depois, justamente em 17, para coincidir exatamente a data?).

É uma oportunidade rara de se assistir o mesmo filme no mesmo local, 65 anos após sua exibição de estreia inaugural do Cine Teatro Mussi. 
Quantos espectadores, com essa diferença de anos, repetirão a façanha?




quinta-feira, 26 de novembro de 2015

1º Rock Rotary


sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Policial Militar da Laguna salva jovens de afogamento

Era para ser um passeio tranquilo para apreciar o mar, tomar um banho e se refrescar com a família, num dia quente. Mas em poucos segundos a calmaria virou desespero quando a adolescente A. de 16 anos e seu irmão T. 21 anos foram arrastados pela correnteza nas imediações da praia do Iró, na tarde desta quinta-feira (19). 

Uma guarnição da Polícia Militar, que passava nas proximidades, viu a movimentação e os pedidos de socorro. O irmão, que acompanhava a garota, não conseguiu salvá-la e acabou sendo levado pelas ondas.

Soldado Luiz Felipe Guedes 
acompanhou as vítimas até o hospital. 
O soldado Luiz Felipe Guedes Paines de Almeida entrou no mar, com o uniforme, retirou apenas seus equipamentos de trabalho (colete, cinto de guarnição e armamento) e não perdeu tempo em pensar muito. "Tive que agir rápido", contou.

Ainda fardado nadou até uma das vítimas, um homem de 21 anos, já próximo a um banco de areia, e prosseguiu o salvamento até a adolescente de 16 anos.
Um fraco vento nordeste prevalecia na tarde deste dia 19, com o mar agitado, a correnteza afastava a jovem cada vez mais da praia. 

Na areia, a torcida era grande. Uns olhavam com lágrimas nos olhos, outros gritavam mostrando para onde a força das ondas levava a jovem. A ação demorou 20 minutos. Nos braços do soldado, a garota saiu da água consciente e exausta. Chorando muito, chamava os pais, de mãos dadas com o seu salvador. 
Na areia, o soldado David Garcia Silva, acionou uma guarnição do Corpo de Bombeiro Militar da Laguna.

Passado o susto, vendo a jovem recuperada, quem precisou ser levado ao setor de emergência do hospital foi o soldado devido à falta de ar pelo esforço físico. Recomposto voltou à Guarnição e recebeu aplausos dos colegas. Luiz Felipe Guedes é de Alegrete (RS),. Aprovado em concurso está em nossa cidade há dois anos.
Soldados David Garcia Silva e Luiz Felipe Guedes.
Ao centro o comandante tenente-coronel Jefer Francisco Fernandes.
O comandante da Guarnição Especial de Policia Militar da Laguna, tenente-coronel Jefer Francisco Fernandes, recebeu em seu gabinete os policias militares envolvidos na ocorrência, enaltecendo o ato de coragem de bravura do soldado Guedes (à direita, na foto), por ter arriscado sua própria vida para salvar a vida do próximo, honrando a Instituição Policial Militar.

Perigo chamado “corrente de retorno”
Quem presenciou a cena descreveu que a jovem foi vítima de uma corrente de retorno. Segundo estatísticas do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, 80% dos afogamentos são provenientes deste fenômeno. 
O vai e vem de ondas no mar produzem um fluxo. Quando as ondas arrebentam na areia, a água que se acumula na beira da praia volta para o mar e, com isso, cria uma corrente de retorno. Na temporada de verão os salva-vidas costumam colocar bandeiras vermelhas na areia para indicar essas correntes perigosas. 

Os bombeiros alertam: caso o banhista fique preso em uma corrente, o mais importante é que ele mantenha a calma. Se ele souber nadar ou boiar, a corrente não vai fazer com que ele afunde. O ideal, segundo os especialistas, é nadar paralelamente à praia até encontrar algum banco de areia, onde ele consiga apoiar os pés no chão. A partir daí, é possível esperar as ondas maiores e nadar junto delas até a beira da praia.

Sinais e características das correntes de retorno: 
- Água marrom e descolorada, devido à agitação da areia do fundo, causada pelo retorno das águas;

- Água com tonalidade mais escura, devido à maior profundidade, sendo atrativas para banhistas desavisados;

- Água mais fria após a linha de arrebentação, significando o retorno de águas mais profundas;

- Ondas quebram com menor frequência ou nem chegam a quebrar, devido ao retorno das águas e à maior profundidade;

- Local onde ocorre a junção de duas ondas provindas de sentidos opostos;

- Local por onde o surfista experiente geralmente entra no mar;
Nas marés baixas, formam ondas do tipo buraco, alimentadas pela água em seu retorno;

- Pequenas ondulações na superfície da água, causando um reboliço, em virtude da água em movimento (pescoço da vala);

- Espuma e mancha de sedimentos na superfície, além da arrebentação, onde a vala perde a sua força (cabeça da vala);

- Ocupação de uma faixa maior de areia, devido ao maior volume de água, provocando uma sinuosidade ao longo da praia (boca da vala);

- Mais difíceis de serem identificadas em dias de vento forte e mares agitados;

- Mais evidentes em marés baixas;

- Perda da força de 5 a 50 metros após a linha de arrebentação.

Fonte: PML/Divulgação. Fotos: Divulgação Polícia Militar da Laguna

Monumento ao boto pescador

Poucos metros do habitat natural do boto pescador da Laguna, a lagoa Santo Antônio dos Anjos, nos Molhes da Barra, uma estátua da espécie marinha está chamando a atenção de quem visita o local. Feito em fibra náutica, o monumento mede cinco metros de comprimento e fixado sobre uma base de concreto. 
A inauguração será no próximo dia 24 (terça-feira), às 17h. 

Os recursos para construção e instalação do monumento foram destinados através de uma medida compensatória do Consórcio Ponte de Laguna.

Nesta quarta-feira foi retirado o material que envolvia a estátua para conferir como ficou o trabalho.
Declarado patrimônio do município, o boto pratica a pesca cooperativa com os pescadores. Todos os dias, turistas de várias partes visitam o canal da Barra para apreciar o fenômeno. 

Segundo a presidente da Fundação Lagunense do Meio Ambiente (Flama), Aline Trichês, “junto também será instalada uma placa com informações sobre o Boto”. Uma forma de ensinar sobre as características do animal marinho.
Uma lei municipal declara os botos como patrimônio natural da Laguna.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

19 de novembro - Dia em homenagem à Bandeira do Brasil



Data em homenagem à Bandeira do Brasil um dos símbolos da nossa pátria, e tão esquecida e vilipendiada nos últimos anos.
Antigamente era comum seu hasteamento em pátios de escolas e repartições públicas acompanhado da execução do Hino Nacional. Momento cívico a lembrar sempre que a cidadania se constrói no dia a dia. 
Bandeira exaltada, mas na maioria das vezes somente em jogos da Copa do Mundo e em Olimpíadas, quando torcedores a agitam e a enrolam em seus corpos, orgulhosos, sentimentais vertendo lágrimas passageiras. Esquecida a um canto ao final de partidas.

Quantos a colarão em seus perfis nas redes sociais no dia de hoje?
E a Ponte Anita Garibaldi nesta noite será iluminada com as cores da nossa Bandeira, a exemplo do que foi feito com as cores da França?

Salve! Salve! Lindo pendão da esperança!

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Deputados aprovam conversão das SDRs em Agências de Desenvolvimento

Na tarde desta terça-feira (17), os deputados catarinenses aprovaram por 31 votos a quatro o Projeto de Lei nº 260/2015, do governador Raimundo Colombo, que transforma as Secretarias de Desenvolvimento Regionais (SDRs) em Agências de Desenvolvimento Regionais (ADRs).

Foto: Miriam Zomer/Agência AL
De acordo com o projeto, serão extintos 106 dos 455 cargos comissionados e 136 das 468 funções gratificadas das SDRs, totalizando uma economia anual de R$ 5 milhões. “Não é com essa proposta que vamos descentralizar, a decisão que antes era na ponta da linha passa a ser centralizada”, criticou Fernando Coruja (PMDB).

Darci de Matos (PSD) discordou do colega. “Vamos continuar proporcionando a descentralização, economizando R$ 5 milhões da Fonte 100 por ano e mantendo as agências no interior do estado”, ponderou Darci. Valdir Cobalchini (PMDB) também defendeu o projeto do governo. “O PMDB não é contra a diminuição da estrutura. Se tiver de diminuir mais somos totalmente favoráveis, mas vamos continuar discutindo a questão de lotação dos servidores que ficam no limbo”, avisou Cobalchini.

Ana Paula Lima (PT) defendeu a extinção das SDRs. “Elas não atendem a comunidade e são um cabide de emprego”, garantiu. Luciane Carminatti (PT) também defendeu a extinção das regionais. “A maior redução é do poder de decisão. Antes as SDRs tinham 30 competências, agora serão apenas 13, os conselhos tinham nove competências, terão cinco. Se não vão decidir nada, para quê agência?”, perguntou Carminatti.

João Amin (PP) argumentou que as SDRs deveriam ser substituídas pelas regiões metropolitanas. “Em 2014, com as regionais já esvaziadas, foram gastos R$ 418 milhões com a manutenção das SDRs”, criticou João Amin. Leonel Pavan (PSDB) afirmou que as SDRs perderam a finalidade para a qual foram criadas. “Chegaram ao descrédito, não tiveram mais os recursos e os conselhos não se reuniram mais”, disse Pavan.


Cesar Valduga (PCdoB) repercutiu o relatório do Tribunal de Constas do Estado (TCE) sobre o desempenho das SDRs nos primeiros cinco anos de funcionamento. “Os gastos com a manutenção foram de R$ 638 milhões, são gastos desproporcionais aos investimentos e refletem o caráter conservador da política catarinense”, avaliou Valduga.

Hospital da Laguna emite nota de esclarecimento

A direção/administração do Hospital da Laguna ontem emitiu nota de esclarecimento à população, rebatendo declarações do prefeito Everaldo dos Santos em entrevista à Rádio Bandeirantes, de Tubarão.
A nota, assinada pela sua presidente Regina Ramos dos Santos e pelo administrador Carlos Alberto Batista é longa, explicativa, dividida em vários tópicos.

Visam esclarecer as declarações do prefeito, tais como:
Sobre o hospital “ser um poço sem fundo, necessidade de realizar auditoria nas contas do hospital; prestações de contas do hospital; terreno doado ao hospital pela prefeitura; e sobre a “suposta falta de serviço” entre o pessoal do hospital.
Para ler a Nota em sua íntegra, basta clicar aqui


De meia-dúzia em meia-dúzia... a vaca vai pro brejo

Sempre que confrontado com críticas a sua administração, o prefeito Everaldo dos Santos em entrevistas à imprensa e emissoras de rádios e TV, saca sempre do coldre seu bordão predileto:
 - Os descontentes não passam de meia-dúzia de pessoas na Laguna.

O grupo de meia-dúzia varia. Ora é meia-dúzia de desocupados que fica pelas esquinas somente criticando; às vezes é meia-dúzia que vive nas redes sociais fazendo fofoca. 
Na semana passada foi meia-dúzia de servidores da prefeitura chamada de folgados; ou meia-dúzia de professores que vive de atestado. Enfim, Everaldo escolhe o grupo conforme as circunstâncias.

Discurso cansativo
Esse discurso também já cansou, não cola mais, deu o que tinha que dar, até porque essa “meia-dúzia de seis” de descontentes a que se refere o prefeito está cada vez maior. A julgar pelo que se ouve nas ruas e "andam falando alto pelos botecos e gritam nos mercados que com certeza", e se lê nas mensagens das redes sociais.

Desastrada entrevista pra rádio de Tubarão
Ainda semana passada, na terça-feira, em entrevista por telefone a radialista Vera Mendonça, da Band, da vizinha cidade de Tubarão, o prefeito soltou o verbo, como todo já sabem.
Diz um ditado popular que roupa suja se lava em casa... mas o prefeito escolheu uma rádio da região, de cidade vizinha, para soltar suas críticas. Enfim...

Sobraram críticas e acusações pra muita gente, inclusive servidores municipais, e também à diretoria/administração do Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos. 
Sobre o Hospital da Laguna, entre outras coisas, disse que “é um poço sem fundo” e “que há necessidade de uma auditoria nas contas, salários”.

Indignação
A desastrada entrevista foi reproduzida nas redes sociais e provocou – e nem poderia ser diferente - a indignação de muita gente, principalmente dos atingidos pela verborragia do prefeito. 
Jogou mais lenha na fogueira às vésperas de uma manifestação pacífica de servidores por atraso nos vencimentos. Protesto que aconteceu na quinta-feira e que reuniu mais de 300 pessoas pelas ruas da cidade, fato inédito na cidade Juliana.

Filmagens, fotos, entrevistas, reportagens em jornais e nos noticiários de televisão correram o estado e foram reproduzidas, obviamente, na internet.

Feita a bobagem, reconhecido o erro, começou toda uma pressão e aconselhamento político de alguns assessores e correligionários do PMDB para que de algum modo se estancasse a má repercussão da entrevista. Foi quando surgiu a sugestão de uma carta aberta. 
Cartas abertas parecem ter virado moda na cidade. Ontem a direção/administração do Hospital da Laguna emitiu mais uma. Assunto para o próximo post.

Carta aberta do prefeito
Nesta segunda-feira (16), quase uma semana após a polêmica entrevista, faltando dois minutos para meia-noite, uma carta aberta à população foi publicada no site da prefeitura e rapidamente reproduzida por algumas páginas de redes sociais.

Nela, o prefeito Everaldo pede desculpas aos servidores da prefeitura e diz que de "forma impensada usou termos desapropriados", "que em nenhum momento seu raciocínio era dirigido a todo o funcionalismo", "tampouco é a favor do fim da estabilidade".

E finaliza a carta do prefeito: “Reconheço, reitero e venho a público pedir perdão primeiramente a todos os funcionários públicos e, consequentemente, a toda a população de Laguna pelas palavras que geraram todo esse mal-entendido”.

Saliente-se que não há, na citada carta, pedidos de desculpas e perdão à diretoria/administração do Hospital. 

A carta de Everaldo dos Santos terá surtido efeito político? Só o tempo dirá. Diz a voz popular que palavra lançada e flecha atirada... 
Mas se retratar, pedir desculpas, é um direito de qualquer um, reconheçamos.
Terá o prefeito aprendido a lição? Duvido muito.

Repito que só o tempo irá responder porque até hoje, por exemplo, muitos ainda dizem por aí que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teria chamado os aposentados de vagabundos - expressão que ele realmente nunca utilizou. Pelo menos não dessa forma. Mas explorada pela oposição, a maldade colou como uma tatuagem em FHC.

****

Para ler a carta na íntegra do prefeito Everaldo, se o leitor tiver ainda paciência e curiosidade, basta clicar aqui

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Troca-troca na prefeitura

Portarias publicadas no Diário Oficial de hoje e assinadas pelo prefeito Everaldo dos Santos, exonera Grazielle Sitônio Duarte do cargo de secretário de Planejamento Urbano e Habitação e nomeia  o servidor Rodolfo Michels Godinho para a função.
Grazielle Duarte assume como assessor especial de Planejamento Urbano e Projetos.
Alguma costura política do prefeito com o presidente do Legislativo lagunense, vereador Roberto Carlos Alves (PP)?

***************************

Projeto que transforma as SDR’s em ADR’s será votado nesta terça

Nesta terça-feira, na Assembleia Legislativa, acontece a votação em turno único do projeto de lei nº 260/15 oriundo do Executivo estadual, transformando as secretarias de Desenvolvimento Regional (SDR’s) em ADR’s (Agências de Desenvolvimento Regional).

O projeto ainda prevê a extinção da Regional da Grande Florianópolis, as extinções de 106 dos 455 cargos comissionados, e 136 das 468 funções de chefia ocupadas por servidores de carreira.

sábado, 14 de novembro de 2015

Membros do PMDB estão descontentes com o prefeito Everaldo. Mas só agora?

Alguns filiados do PMDB lagunense, membros inclusive de sua Executiva, querem tomar uma atitude em relação ao prefeito Everaldo dos Santos. Não está descartada uma carta aberta à população demonstrando o descontentamento do partido com os rumos da atual gestão.
Será na linha dos famosos “considerandos” feitos também em carta pela vice-prefeita Ivete Scopel?

Por que só agora, após três anos, o PMDB poderá tomar essa atitude? Onde estava o PMDB esse tempo todo? 

O PMDB da Laguna, partido do prefeito e por qual ele foi eleito, nunca foi devidamente prestigiado pelo primeiro mandatário lagunense.
Os filiados se queixavam, mas as reclamações quase sempre eram intramuros, cochichadas entre eles.

Nas conversas com o prefeito, frente a frente, poucos tiveram ousadia de reclamar, de cobrar maior participação do partido nas decisões administrativas. Os poucos que reclamavam diziam que o prefeito não lhe dava ouvidos. (E ele ouve alguém?). Outros silenciaram com receio de retaliações. 

Muitos filiados do PMDB também se queixam de nomeações pra cargos na prefeitura de pessoas estranhas ao partido e que nem apoiaram Everaldo. 
O que é uma verdade. Há importantes cargos nas mãos de indicações principalmente do PP; do PR e até do PT, partido oposicionista nas eleições de 2012.
Trocas-trocas e nomeações continuam acontecendo, inclusive com nomes de fora da cidade. 
Há filiados dizendo que vão se licenciar do partido ou até se desfiliar. Alegam desprestígio partidário.

Reclamações vão se avolumando
A verdade é que a pressão popular é muito grande. As reclamações da população por causa da má gestão nas áreas da saúde, educação, segurança e infraestrutura vão se avolumando, além de manifestações de servidores por atrasos em pagamentos, etc..

A entrevista desastrada do prefeito a uma emissora de rádio de Tubarão (e que corre nas redes sociais) extrapolou o bom senso e mostrou despreparo, desespero político. Faltou com respeito aos servidores municipais e à diretoria do Hospital. 

Gritar aos microfones não convence mais ninguém. O tempo do palanque já passou há muito tempo. Papo de infância humilde, rapaz latino-americano vindo do interior, ser contra as elites, etc. tornou-se maçante. Não cola mais.

Muitos membros do PMDB lagunense e candidatos à vereança ano que vem já perceberam a realidade e sabem que não dá mais para segurar o rojão, defender a atual administração. Virou queimação de filme. Ou melhor, de votos.

Vejamos. Nelson Abrahão Netto foi o último prefeito do partido ( anos de 1989 a 1992), logo o PMDB da Laguna levou 20 anos para assumir novamente o poder em nossa cidade.

Se a situação continuar como está e até piorar, o que é bem provável, o PMDB lagunense corre sério risco de não continuar governando o nosso município nas eleições do ano que vem. Vai morrer politicamente abraçadinho. 

Seja com que nome for à prefeitura. 

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Todos os vereadores agora querem falar. Quer dizer, quase todos

Na sessão da Câmara de vereadores de quarta-feira última deu-se um fato inusitado. Dos 13 vereadores presentes, 12 deles fizeram uso da palavra, inclusive o presidente da Casa. Nunca antes na história da Laguna, para usarmos um chavão, os microfones daquela Casa Legislativa foram tão utilizados.

Os vereadores manifestaram-se usando a tribuna ou em suas explicações pessoais. Só um deles não se pronunciou, não disse nada, só ouviu. Rogério Medeiros (PMDB).
Mas isso não é novidade, porque quase sempre este vereador entra mudo e sai calado. Quem acompanha as sessões da Câmara sabe disso. Dificilmente ouve-se sua voz. Será timidez?
Pode até ser a causa, mas que ele presta muita atenção, lá isso ele presta.

Clima pesado

Na noite de quarta sentia-se o clima pesado no ar na Câmara de vereadores. Havia motivos . Com salários atrasados, sindicato dos servidores tinha marcado manifestação pelas ruas da cidade para o dia seguinte, quinta-feira, o que de fato aconteceu. E uma entrevista desastrada do prefeito Everaldo dos Santos a uma emissora de Tubarão colaborou para tornar o clima ainda pior. Jogou gasolina na fogueira.

Pulando fora do barco?

A verdade é que a pressão popular em cima dos vereadores está sendo muito grande. As reclamações da população por causa da má gestão nas áreas da saúde, educação, segurança e infraestrutura vão se avolumando e sobra, evidentemente, para os representantes eleitos pelo povo.

Muitos vereadores, que pra bobos não servem e dão nó em pingo d’água, já perceberam a realidade e sabem que não dá mais para defender a atual administração. Virou queimação de filme. Ou melhor, de votos.

A melhor estratégia é pular fora do barco o mais rápido possível, antes que morram abraçados politicamente nas eleições municipais do ano que vem.

Três mosqueteiros

Três vereadores da Câmara da Laguna, Andrey Pestana de Farias (PSD), Dudu Carneiro (PP) e Zezinho Siqueira (PT), vamos ser justos, sempre se levantaram e usaram os microfones para fiscalizar, alertar, contestar e criticar atitudes, projetos e tomadas de decisões do Executivo.
Por seus comportamentos e discursos eram chamados de pessimistas ou de meros oposicionistas tentando desestabilizar a atual administração com vistas aos seus próprios interesses eleitoreiros.

Os fatos últimos estão a demonstrar que eles cumpriram e cumprem verdadeiramente seus papéis para os quais foram eleitos.

Defensores do Everaldo agora o criticam

Maioria dos vereadores, e desde o início dos atuais mandatos, era defensora inconteste do prefeito. Essa maioria aprovava todos os projetos, o elogiava sempre e não havia espaço para críticas. Alguns desses vereadores tornaram-se, inclusive, secretários municipais. Quer dizer, conhecem o sistema por dentro. Estiveram lá.

Excesso de voto de confiança sempre dá no que dá

Havia até quem sempre repetia o mantra de que “era preciso dar um voto de confiança ao prefeito”. Fosse em que situação fosse.
Por não se fiscalizar, contestar e criticar, chegou-se ao péssimo quadro atual. A atual administração de Everaldo dos Santos está num beco sem saída, inclusive com inúmeras ações na justiça, fruto de má gestão e algumas trapalhadas.  
No que vai dar? O tempo dirá.

Enquanto isso a Laguna ó...

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Servidores da prefeitura da Laguna protestam pelas ruas da cidade

Cerca de 300 servidores da prefeitura da Laguna, com apitos e gritando palavras de ordem, fizeram hoje à tarde uma manifestação pelas ruas da cidade.
Repórter-fotográfico Elvis Palma, como sempre, estava lá e registrou:









Os servidores se reuniram na Praça do Monumento Tordesilhas e foram em direção à prefeitura (Gabinete do prefeito), na rua Voluntário Carpes. Depois no centro administrativo, na rua Osvaldo Cabral; na secretaria de Saúde, e também defronte ao Fórum, na rua Arcângelo Bianchini.







A reclamação é pelo atraso nos salários (mês de outubro ainda não foi pago), quando, conforme prevê a Lei Orgânica do município, o dinheiro deve ser depositado até o último dia do mês e não no quinto dia útil, como afirma o prefeito.
Os servidores também reclamam da quantidade de cargos comissionados na prefeitura e exigem mais respeito.

Numa entrevista completamente desastrada que fez a Vera Mendonça da rádio Band AM de Tubarão, no início da semana, e que acirrou os ânimos, prefeito Everaldo dos Santos detonou meio mundo. Sobraram críticas à diretoria/administração do hospital, estabilidade de servidores, inclusive afirmando que existem alguns folgados, e aos críticos de sua administração.

Entrevista com o presidente do sindicato dos servidores Azomar Miranda

O presidente do sindicato dos servidores da prefeitura da Laguna, Azomar Miranda em entrevista à imprensa salientou:

“- A passeata é uma manifestação sem conotação política”;

“ – Hoje há mais funcionários na prefeitura da Laguna quando Pescaria Brava ainda pertencia ao nosso município”;

“ – Há três meses estamos negociando com o prefeito e nada”;

“ – Não podemos aceitar o excesso de comissionados”;

“ – Há um projeto de reforma oriundo do  Executivo na Câmara, que tira gratificações dos servidores efetivos”;

“- Não há explicações para contratação de secretário-adjunto para a secretaria da Fazenda e também licitação para contratação de uma empresa de assessoria jurídica quando temos 18 bons advogados na prefeitura”;

- “Queremos melhores condições de trabalho, as creches estão trabalhando através de cotinhas e rifas para comprar merenda para as crianças”;

“- Nossa perspectiva não é boa para o fim do ano. É bem possível que teremos o pagamento de outubro com atraso e o 13º salário. E os meses de novembro e dezembro?”;

“- O salário do servidor está em último lugar. Primeiro são descontados os precatórios, depois o parcelamento do INSS, depois o duodécimo da Câmara de vereadores e só depois, em 4º lugar, os salários dos servidores”;

“- Entramos com mandado de segurança na Justiça para garantir o pagamento dos salários”.

6ª lasanhada da Casa da Amizade – Almoço beneficente



Próximo domingo (15), a partir das 12 horas, no Centro Cultural Santo Antônio dos Anjos, a Casa da Amizade promove mais um almoço beneficente. Valor: R$ 30,00. Participe.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Hospital divulga nova carta aberta à população

Carta aberta à população, imprensa e autoridades:
Considerando que, na tarde de ontem, a Prefeitura Municipal da Laguna efetuou o repasse de um dos valores devidos ao Hospital e se comprometeu a pagar, até o dia 20 de novembro, o valor restante, a Direção/Administração do Hospital e os médicos plantonistas resolveram normalizar o atendimento do Serviço de Emergência, a partir das 19 horas de ontem.

No entanto, como têm sido constantes os atrasos de repasses dos recursos municipais, novas paralisações de atendimento poderão voltar a ocorrer, caso o problema se repita.

Esclarecemos que, atualmente, o Hospital se mantém com os recursos federais, estaduais e municipais repassados pelo SUS, através da Secretaria Municipal de Saúde da Laguna, que é gestora plena do sistema municipal de saúde, por meio de um contrato de prestação de serviços. Os recursos provenientes da Prefeitura fazem parte deste conjunto de receitas, destinando-se ao pagamento da hora-plantão dos médicos do Serviço de Emergência.
E, embora o Hospital tenha conseguido, nos últimos tempos, aumentar significativamente suas fontes de receita, graças aos novos serviços que vêm implantando, a instituição não tem como assegurar a continuidade das suas atividades, caso venha a faltar qualquer uma das referidas fontes de financiamento.
Atenciosamente.

Laguna, em 11 de novembro de 2015.

Regina Ramos dos Santos - Presidente 
Carlos Alberto Batista - Administrador 
Dr. Fernando H. S. Pache - Diretor Técnico

Monumento em homenagem aos Botos

Base de concreto nos Molhes para instalação do monumento aos Botos
Uma homenagem será prestada ao nossos botos, através da construção de uma estátua na região do canal da Barra, proximidades da Praça Seival.

Feito em fibra náutica, o monumento medirá de quatro a cinco metros de comprimento e será fixado sobre uma base de concreto. “Junto também será instalada uma placa com informações sobre o Boto”, afirma Aline Trichês, a presidente da Fundação Lagunense do Meio Ambiente – Flama.
Os recursos para construção e instalação do monumento estão sendo destinados através de uma medida compensatória (?) do Consórcio Ponte da Laguna, diz a nota da prefeitura.

****
Monumentos sempre são interessantes, evidentemente, assim também como suas manutenções posteriormente. Eis um cuidado que nos últimos anos não se tem na Laguna por parte de nossos governantes.

Neste caso dos botos, além da homenagem com a criação do citado monumento lá nos Molhes, o melhor a fazer, e principalmente, é protegê-los de seus predadores naturais, principalmente o bicho homem com suas redes clandestinas e embarcações que os prejudiquem em seu habitat.

Ele voltou, ele voltou. O Vanio Santos voltou ao rádio lagunense

Na manhã de hoje, o radialista Vanio Santos retornou aos microfones do rádio lagunense, para apresentar seu programa matinal, das 9 às 12, pela Rádio Garibaldi, emissora adquirida por novos proprietários.
Vanio recebeu muitas manifestações de ouvintes que já estavam com saudades de sua voz e alegria.
Liga pra ele, dá um alô, peça uma música. O telefone é: 3646-0337.

Daqui deste espaço desejo ao Vanio o maior sucesso nesse retorno, alegrando com seu jeito especial de ser e muita música as manhãs de todos nós. 
Bola pra frente Vanio! Que a vida é um eterno caminhar.

Servidores da prefeitura da Laguna farão manifestação amanhã

Está prevista para amanhã à tarde, 14 horas, uma manifestação de servidores da prefeitura da Laguna pelas ruas da cidade, em protesto pelo atraso em seus vencimentos.
A concentração e saída será no Monumento Tordesilhas.

Normalização no atendimento na emergência do Hospital

A paralisação do atendimento seletivo na emergência do Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos acabou ontem mesmo, terça-feira.
No meio da tarde a prefeitura regularizou uma parcela atrasada do convênio (R$ 100 mil) com a instituição e os nove médicos decidiram normalizar os serviços.
Outra parcela do mesmo valor já está vencida.

Segundo a prefeitura, o motivo do atraso do repasse e do acordo feito com o hospital é o mesmo já apontado para outras situações de atraso de pagamentos: as dificuldades financeiras enfrentadas pelo município. A secretaria de Saúde lembra que a prefeitura tem cerca de R$ 350 mil para receber de repasses do Governo do Estado para a saúde, que também está em atraso.

Gratuidade nos Museus da Laguna, uma medida questionável

Abrir mão de arrecadação? Em plena temporada? Nada como uma cidade rica

É de se questionar o decreto anunciado semana passada pela Fundação Lagunense de Cultura, através de seu presidente Norton de Araújo Mattos, e assinada pelo prefeito Everaldo dos Santos, em suspender (isentar) até 6 de março de 2016, a cobrança de ingressos para os dois museus lagunenses, Anita Garibaldi e Casa de Anita.
Abrir mão de arrecadação? Nada como uma cidade rica.

Gratuidade fomentaria o turismo?
A alegação é de que tal medida fomentará o turismo na Laguna.
Como assim? Justamente agora nesse período de temporada de veraneio que se inicia? 
Mas não cantam e contam em versos e prosas que Laguna vai receber milhares de turistas? Há pouco tempo não queriam (ainda querem?) cobrar uma chamada “taxa de turismo” do visitante para ingressar na Laguna?

Na grande maioria dos museus do mundo cobra-se ingresso do público para visitação, com as devidas isenções de praxe previstas em lei, é óbvio.
Não cobrar ingresso penso que vai de encontro a princípios de administração de se autogerir um negócio.
Não há dinheiro nem para merendas nas escolas e abre-se mão de arrecadação. Cidade rica é outra história...

Realizar promoção em dias da semana, reduzir o valor do ingresso, buscar atrair o visitante com uma maior divulgação do acervo, etc. são medidas aconselháveis e até bem vindas.

A gratuidade de ingresso penso ser uma medida que pode ser simpática em princípio para alguns, mas é contraproducente em seu final. Uma medida meio popularesca até.
Então, para ser coerente, que não se limite até março de 2016, que se estenda a medida, inclusive - e principalmente - na baixa temporada.

Cobrança de ingressos é questão de gestão, de gerenciamento autossustentável
A cobrança de ingressos para os dois Museus da Laguna é uma questão de gestão, em minha opinião.
Dizem os técnicos da área que os museus devem ser mais autônomos e, por consequência, mais sustentáveis, com isso tornando-se mais eficientes e com qualidade nos serviços prestados ao público.
Não é isso que pregamos tanto na iniciativa privada como no serviço público? O gerenciamento autossustentável?

Bem por isso, técnicos e estudiosos da área recomendam que os museus devem atrair, seduzir e convencer as pessoas a pagarem ingressos para suas exposições. Inclusive com o oferecimento de produtos, as chamadas lojinhas, tais como cartões postais, livros, livretos, canecas, calendários, réplicas de objetos, pingentes, broches, etc., no afã de captar recursos do público. Evidentemente que recursos bem administrados.

Por exemplo. No governo do ex-prefeito Nelson Abrahão Neto (1989-1992), os ingressos em maior tamanho estampavam obras de artistas plásticos lagunenses, como Chachá, Artur Cook e outros, que reproduziam paisagens da nossa Laguna. Quer dizer, além de prestigiar a classe, o próprio ticket era um souvenir, uma lembrança que o turista desejava levar.

Na Laguna se faz exatamente o inverso. Institui-se a gratuidade para tudo. Pouco ou nada é explorado em prol do desenvolvimento da cidade, do verdadeiro fomento turístico.
Os Molhes da Barra e o Morro da Glória são dois exemplos - há outros - de pontos turísticos que bem poderiam dar retorno diretamente. Não dão. 

Arrecadação tem de ser controlada e fiscalizada
Como as dotações orçamentárias governamentais para os museus são pequenas ou até inexistentes, é necessária a captação de recursos, e um dos meios mais rápidos é através da cobrança de ingressos.
Com isso os próprios recursos arrecadados servem à manutenção dos prédios e pequenos reparos, além de aquisição de material de limpeza, higiene, expediente e até pagamento de salários.

Arrecadação com transparência
Evidentemente que essa arrecadação tem de ser devidamente fiscalizada, com emissão de tickets, recibos, controle através de catracas de visitantes, além da publicação no Diário Oficial de balancetes mensais e anuais com números arrecadados e de visitantes.
Desconhecemos nos últimos anos na Laguna a divulgação desses balancetes, números de visitantes nos dois Museus, origens, totais arrecadados. Como era (e é) feito o controle? Tickets, recibos eram expedidos?

Museus sem a devida atenção
Há muitos anos, essa é que é a realidade, os dois museus da Laguna não recebem a devida atenção por parte do poder público.

Museu Anita Garibaldi
O Museu Anita Garibaldi até passou por uma reforma e revitalização há poucos anos, mas várias peças de seu acervo ficaram depositadas em outros locais, perderam-se, estragaram-se devido às obras realizadas. Algumas teriam até sumido.
Até hoje, por exemplo, não foi elaborado o seu Plano Museológico. Sabe que uma empresa foi contratada para realização do serviço mas a licitação foi parar na justiça.

Museu Casa de Anita
A chamada Casa de Anita está precisando de reforma e pintura, há goteiras, umidade, mofo. Sem falar numa iluminação interna mais condizente e externa não existente.
E funcionários com mais conhecimento de história e do acervo que possam acompanhar os visitantes. Os dois Museus da Laguna praticamente estão nas mãos de estagiários que nem são ligados à área e demonstram, muitos deles, completo desconhecimento de seu trabalho.

Há que saber aproveitar as potencialidades que nossa cidade oferece, suas belezas naturais aliadas a uma boa infraestrutura que permita melhores acessos, sanitários, etc.

Assim fomentaríamos verdadeiramente o turismo em nossa cidade. No meu entender não precisamos de medidas paliativas. Que podem até dar manchetes simpáticas é bem verdade, mas não resolvem nem um pouco os problemas.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Dnit informou que nunca existiu medida compensatória pela construção da Ponte Anita Garibaldi

Em ofício encaminhado ao deputado Luiz Fernando Vampiro (PMDB), o Dnit esclareceu que nunca existiram medidas compensatórias em relação à construção da Ponte Anita Garibaldi sobre o canal de Laranjeiras, na Cabeçuda.
Foto: Elvis Palma
Conforme ofício enviado ao deputado, a Licença de Instalação concedida pelo Ibama em 2011 para a construção da ponte não determinou nenhum tipo de investimento a ser aplicado neste sentido.

Nenhuma novidade para os leitores deste Blog. Em algumas matérias publicadas nesta página, já havia informado que faltou maior interesse de nossos representantes políticos à época quanto a isso, principalmente tendo o Governo Federal como parceiro, como era amplamente alardeado pela administração municipal anterior.
Para ver algumas das matérias aqui publicadas, em 2012, 2015, basta clicar em:


O engenheiro lagunense André Labanowski cansou de avisar várias de nossas autoridades e representantes políticos sobre o fato. Alertava ele que as compensações ambientais deveriam ser inseridas quando da feitura dos documentos de licitação. Quer dizer, é um passo anterior a tudo. Não lhe deram ouvidos. Depois dos vencedores de uma licitação ser anunciados fica muito difícil, quase impossível mesmo exigir compensações ambientais se elas não estão no papel, acordadas anteriormente.

O que são medidas compensatórias
São medidas que visam minimizar os impactos ambientais de uma obra executada. No caso da travessia do Canal de Laranjeiras à época se falou muito na realização, por conta das medidas, da construção do acesso Norte, do desassoreamento da Lagoa Santo Antônio, e da instalação de tubulões sob o aterro da ponte antiga (Henrique Lage), com vistas a oxigenar as Lagoas de Imarui e Mirim.  
Conforme ainda informou o órgão federal, o acordado foram medidas mitigadoras, o que inclui as compensatórias no âmbito da BR-101, no corredor entre Palhoça e a divisa com o Rio Grande do Sul. Muitas delas ainda sendo executadas.

Os recursos na ordem de R$ 47 milhões foram investidos em programas ambientais, como o de ordenamento territorial, transporte de produtos perigosos, apoio às comunidades indígenas, salvamento arqueológico e monitoramento de fauna e flora, entre outros.

O deputado Vampiro lamentou a pouca representatividade política da região em âmbito estadual e federal, e a falta de investimentos visando minimizar o impacto ambiental, numa obra que custou mais de R$ 777 milhões.
“Com a compensação conseguiríamos realizar o desassoreamento do Complexo Lagunar, uma ação que beneficiaria as oito mil famílias que dependem quase que exclusivamente da pesca”, lamenta o deputado.


Transferida paralisação parcial da emergência do Hospital

Atendendo à solicitação da Câmara de Vereadores, a Direção/Administração do Hospital e os médicos plantonistas resolveram transferir o início da paralisação parcial dos atendimentos do Serviço de Emergência para 3a. feira (amanhã), a partir das 7 h. Os vereadores pediram este tempo para tentarem articular uma solução junto à Prefeitura.

domingo, 8 de novembro de 2015

Vereadores debateram fechamento da emergência do Hospital

Na Sessão da Câmara de vereadores da última sexta-feira o fechamento da emergência do Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos, amanhã, segunda-feira (9) foi tema de debate.
Muitos dos vereadores demonstraram descontentamento com a carta aberta distribuída à imprensa e população sobre a decisão.

Ainda durante a Sessão os vereadores fizeram contato com a direção do Hospital Senhor Jesus dos Passos. A presidente do hospital, Regina Ramos dos Santos foi convidada para participar de uma reunião ainda na noite da mesma sexta-feira na Câmara de Vereadores.

O inconformismo, pela maioria dos parlamentares, é que ainda durante esta semana foi aprovado um projeto de lei que garante a venda de uma área de terra destinada ao hospital, localizada no Laguna Internacional, no valor de R$ 550 mil.
A direção do hospital de Laguna emitiu uma carta à população informando a suspensão dos atendimentos eletivos. Apenas casos de urgência e emergência serão atendidos a partir de segunda-feira, (9).

A intenção dos parlamentares é que a decisão seja adiada e uma solução seja encontrada o mais rápido possível para que a população não tenha prejuízo. A sessão foi presidida pelo vice-presidente Antonio da Silva que convocou os vereadores para reunião.

Após a Sessão Ordinária 
Reunidos no gabinete da presidência, vereadores e direção do hospital de Laguna trataram sobre a paralisação. Os vereadores solicitaram a suspensão da paralisação na segunda-feira, prometendo buscar uma saída para o hospital. Caso uma solução não seja encontrada o hospital poderia atender a solicitação dos médicos sobre a paralisação. O administrador da entidade Carlos Alberto Batista se comprometeu em levar o pedido dos vereadores aos médicos para que segunda-feira o atendimento seja feito de forma normal.

A presidente do hospital Regina Ramos dos Santos comentou que chegou a procurar a promotoria pública, porém não encontrou uma solução em curto prazo.
A secretária de Saúde de Laguna, Raquel Xavier,  disse que tem buscado uma forma para resolver o problema e que agora com o empenho dos vereadores a solução poderá ficar mais fácil.
Participaram da reunião o vice-presidente da Câmara Antonio da Silva, e os vereadores: Kleber Lopes, Andrey Pestana, Orlando Rodrigues, Peterson Crippa da Silva, Luiz Felipe Remor e Vilson Elias Vieira.

***

Com o atraso do repasse pela prefeitura, eis uma decisão do hospital que já se previa há dias.
A própria presidente do hospital Regina dos Santos e médicos, vinham alertando sobre o problema, inclusive conversando com alguns vereadores. Nada foi feito. Na Laguna quase sempre é assim, espera-se o problema crescer e chegar ao seu limite ou acontecer, para, aí sim, buscar providências. E dá-lhe reunião às pressas em busca de uma saída.

Alguns vereadores “demonstraram descontentamento” com a decisão do hospital, diz release da Câmara. 
Descontentamento deve ter é a população que se sente tão mal representada por determinados políticos.

O agora líder do governo vereador Orlando Rodrigues (PSD), - é isso mesmo leitor, você leu certo, Orlando Rodrigues agora é líder no Legislativo do governo Everaldo dos Santos, no lugar do vereador Rodrigo Moraes (PR) -. Pois Orlando disse em plenário que a paralisação “foi uma decisão arbitrária por parte do hospital”.
Arbitrária como assim vereador, se a decisão foi tomada pelos médicos da emergência em conjunto com a direção/administração do Hospital?

Até o momento o Hospital não emitiu comunicado à população sobre a reunião de sexta-feira com alguns vereadores (não todos), sobre a solicitação de adiamento da suspensão amanhã dos atendimentos eletivos na emergência.

sábado, 7 de novembro de 2015

Consulta Pública para instalação de antena para celulares no Mar Grosso

Na próxima terça-feira (10), às 19 horas, no salão do Laguna Praia Clube está marcada uma audiência pública sobre a instalação de uma antena (estação rádio base) para celulares da TIM, no bairro Mar Grosso.

Imagem ilustrativa/PML/Divulgação
A estrutura, de 50 metros, terá um custeio para a empresa no valor aproximado de R$ 1 milhão e poderá trazer benefícios à comunidade, que é o principal ponto de turistas e veranistas na alta temporada. No entanto, uma série de malefícios foi apontada por membros do Conselho de Desenvolvimento Municipal, que se reuniram em 26 de agosto deste ano na prefeitura, para avaliar a situação.

Representantes da TIM apresentaram todos os documentos necessários aos órgãos competentes, como o parecer jurídico, técnico e ambiental. No entanto, o plano diretor da Cidade Juliana não permite a construção de tal obra, que equivaleria à altura de um prédio de aproximadamente 17 andares.

Neste caso, o plano indica uma consulta por um conselho responsável, que tem a missão de aprovar ou não tal ação. A estrutura está prevista para ser instalada em um terreno de 364 metros quadrados (13x28), próximo ao posto de saúde. (Fundo do posto de combustíveis Leão Beach).

Em uma pesquisa informal com alguns moradores das imediações da futura antena, muitos responderam que, caso a TIM consiga o aval do conselho, os imóveis sofrerão grande desvalorização. No entanto, outros moradores do Mar Grosso aprovaram a instalação, já que o sinal de uma das principais operadores do país ficaria bem mais forte nesta região e bairros vizinhos. Este e outros aspectos negativos e positivos serão abordados nesta consulta pública.

O presidente do Conselho de Desenvolvimento, Rodolfo Michels Godinho, detalha que uma câmara técnica foi formada para avaliar todos os tópicos prós e contras. “Não podemos tomar uma decisão deste porte sem dar voz aos principais interessados: os moradores do Mar Grosso. Por isso queremos a opinião de todos e, assim, poderemos dar um veredito à empresa de telefonia móvel”, salientou Rodolfo.


Então, todos estão convidados, principalmente os moradores do bairro Mar Grosso. Depois de decisões tomadas, a favor ou contra, não adianta reclamar como costuma acontecer na Laguna.