quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Adeus 2015

E com a canção de Lulu Santos, “Nada do que foi será”, nos despedimos do ano de 2015, desejando aos leitores deste Blog um Feliz Ano Novo, de muita paz, saúde, amor e prosperidade.
E de esperança em dias melhores para nossa Laguna e seu povo.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

São uns gozadores. Só pode

Em release distribuído à imprensa sobre o réveillon e início da temporada de veraneio, prefeitura da Laguna lá pelas tantas informa no texto que “Uma das grandes novidades neste ano, além da Ponte Anita Garibaldi, é o setor infraestrutural” do município. 
São uns gozadores. Só pode.

Além da buraqueira por conta das obras de saneamento básico e da péssima manutenção da maioria, o que se viu no fim da tarde da última segunda-feira (28) e desta quarta (30), foi um completo colapso de todo o sistema de drenagem e escoamento das águas pluviais da cidade.
Ruas e avenidas que nunca antes na história da Laguna ficavam alagadas desta maneira (a não ser na enchente de 1974), agora basta um aguaceiro de alguns minutos para virarem uma imensa lagoa.

Por exemplo, a água no centro da cidade, em plena rua Gustavo Richard está adentrando lojas comerciais. Bairros como Magalhães, Mar Grosso, Campo de Fora, Progresso, Portinho, são outras áreas seriamente atingidas.

Isso que até agora – Deus nos livre – não caiu um cacau daqueles que costumam despencar nesta época.
São poucos minutos de chuva, com um pouco mais de intensidade, mas fazem um estrago danado. Tem comerciante apavorado que fica ilhado junto com consumidores no interior de seus estabelecimentos. Sem falar no perigo de ser contagiado com urina de rato, a tal de leptospirose.

Fotos postadas nas redes sociais, de Elvis Palma, Ana Barzan e de outros leitores, mostram o verdadeiro caos que a cidade vive em seu sistema de drenagem. Eis algumas delas:

Segunda-feira – 28 dezembro 2015 – Fim de tarde:

Ruas Gustavo Richard , Raulino Horn e Tenente Bessa. De braços abertos,
pasmo  e sem saber o que fazer, o comerciante Ottinho Pereira.
Rua XV de novembro - Calçadão

Mar Grosso - Senador Galotti com Sá da Rocha (descida do Morro)

Quarta-feira – 30 de dezembro 2015 – Fim de tarde:

Mar Grosso - Avenida Maurílio Kfouri.

Rua Rennê Rollin - Mar Grosso

Rua Gustavo Richard

Rua Raulino Horn com XV de novembro

Coronel Fernandes Martins com
Arcângelo Bianchini -Bairro Progresso

Turismo sem planejamento

Esta semana, Elvis Palma estampou nas redes sociais fotos do estado lastimável dos sanitários dos postos salva-vidas na orla do Mar Grosso.

Uma nojeira, verdadeiro atentado à saúde pública, com a cidade recebendo milhares de turistas/veranistas/banhistas.

Entrevistado pelo Souza Jr., o Dão, na rádio Difusora, o secretário de Turismo Enio Cardoso saiu-se com umas explicações/desculpas nada convincentes. Aliás, como essa gente tem desculpa para os mais variados problemas, que se avolumam. 
Uma das grandes culpadas agora está sendo a presidente Dilma e a crise nacional. Já foi a dívida da administração do prefeito anterior, meia-dúzia de críticos nas redes sociais, e o não apoio de alguns vereadores.

Continuando. Disse o secretário que há algumas semanas havia combinado com o presidente do Rotary Clube da Laguna a limpeza dos sanitários por parte daquela entidade. Mais tarde foi informado que tal serviço não seria possível.

Partiu-se então para um plano b. Em troca de publicidade, acertou-se com uma empresa a realização da limpeza. Mas aí veio o recesso de fim de ano, desculpou-se mais uma vez Enio.
E completou o secretário: “Só tive conhecimento ontem que os sanitários dos postos de salva vidas não estavam sendo limpos”.
Quer dizer: só quando as fotos caíram nas redes sociais e a a Rede Ban mostrou em reportagem.

Então tá. E o secretário de Turismo da Laguna nem se deu ao luxo, não teve curiosidade sequer de vistoriar para ver in loco se o serviço estava sendo realizado?

Se isso não é falta de planejamento, então não sei mais o que é. E depois não querem receber críticas da população. Dizem sempre que são feitas pelos "do contra".

Agora, em caráter emergencial, na correria como sempre, fomos informados que vão fazer o dever de casa, passando inclusive a cobrar pela utilização dos sanitários. No Posto salva vidas de nº 1,  é bom que se diga, nem água existe.

Assassinaram o camarão

Jornal Notisul de hoje aborda, em reportagem de Jailson Vieira, a escassa pesca artesanal de camarão em nossas lagoas.
O defeso já acabou há 45 dias, mas as redes estão voltando vazias.
Poluição, pesca predatória, falta de fiscalização, excesso de chuvas, barcos industriais são apontadas como as principais causas para o problema.

Para ler mais clique Aqui

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Celesc não vai cortar iluminação da ponte Anita Garibaldi

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina, comarca da Laguna, deferiu pedido de ordem judicial por ação civil pública aberta pelo Ministério Público solicitando que a Celesc não interrompa o fornecimento de energia na Ponte Anita Garibaldi. 

A Celesc informa que vai cumprir a decisão judicial, até porque a multa diária se não o fizer é de R$ 5 mil.
Laguna, a União e o Dnit estão discutindo desde julho na Justiça Federal quem tem a responsabilidade pela manutenção da iluminação pública da Ponte Anita Garibaldi. A prefeitura não reconhece como sua a responsabilidade. Já o Poder Judiciário vem entendendo que tal incumbência é do município.

Reportagem está no Diário do Sul de hoje. Para ler basta clicar Aqui.


****

Polêmico
Eis um assunto polêmico que vem rolando há meses e que suscita as mais variadas opiniões.
O Poder Judiciário vem entendendo até aqui que a responsabilidade pelo pagamento da energia elétrica (iluminação) da Ponte Anita Garibaldi cabe ao município da Laguna.
A conta de iluminação da ponte, informa a prefeitura, gira em torno de R$ 12 mil mensais.

Mas, por outro lado, entretanto, vejamos: na hora do bônus pela construção da famosa ponte, foi o município da Laguna que faturou sozinho quase R$ 30 milhões em impostos (ISS).
Nenhum outro município da região arrecadou diretamente essa grana pela construção da obra.
Laguna abiscoitou sozinha esse dinheirão. Onde foi aplicado, de que maneira é que ainda gera polêmica também.
Sem somar demais valores na movimentação da economia por três anos, através dos salários dos operários, aluguéis, refeições, hospedagens, combustíveis, etc.

Afinal é de se perguntar: a Ponte trouxe ou não benefícios a nossa cidade? Não se gabavam, principalmente os políticos, prefeito incluído, que a Ponte era a redenção/salvação da Laguna?
Que ela ia aumentar o fluxo turístico? A aquisição de imóveis? A arrecadação direta e indireta? Pois então.

Finalmente é de se questionar: por que um município não tem R$ 12 mil mensais para pagar de iluminação pública (arrecadando inclusive através da Cosip) para uma obra gigantesca construída em seu domínio, novo cartão-postal cantado em versos e prosas a embelezar suas Lagoas?

Neste réveillon não haverá fogos na “Praça do Caseca”

Este ano não haverá o já tradicional show pirotécnico na chamada Praça do Caseca, no Balneário Mar Grosso.
Organizada pela família e vizinhos do “seu” Caseca, de saudosa memória, a queima de fogos já tinha entrado para o calendário turístico, chegando mesmo, em alguns anos, a superar o show organizado pela prefeitura.

Força, Barreiros

Daqui deste espaço, mando meu abraço de solidariedade, saúde e força ao radialista João Batista Barreiros. Seu filho Henrique submeteu-se à delicada cirurgia neste final do ano e continua internado recuperando-se em hospital de Tubarão. Mas logo deve receber alta.

Barreiros esteve sempre ao seu lado nesse momento difícil da vida. Com perseverança, fé, orações e esperança vencem-se todos os obstáculos.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Vereadores de Pescaria Brava diminuíram seus salários

Vereadores de Pescaria Brava diminuíram seus salários, aprovando projeto de lei de autoria da Mesa Diretora da Câmara do vizinho município.
De acordo com o projeto, cuja meta é enxugar gastos na folha de pagamento, a redução nos salários é de R$2.739,00 para R$ 2.400,00.
O projeto, que foi votado em duas sessões na última terça-feira (22), passará a valer já para janeiro de 2016.

Eis um exemplo que merece ser copiado.

Presentão de Natal: Câmara de vereadores da Laguna aprova aumento na cobrança do lixo

No final da manhã de quinta-feira (24/12), a Câmara de vereadores da Laguna aprovou por maioria, Projeto de Lei Complementar nº 033/15, oriundo do Executivo que concede aumento na taxa de cobrança de lixo em até 100%.

Vejam vocês. No apagar das luzes de 2015, a toque de caixa, na véspera do Natal, eis um presentão à população e principalmente ao comércio e indústria da Laguna. A mudança proposta, na verdade, altera o Artigo 340 do Código Tributário do Município.

Apenas dois vereadores votaram contra o aumento: Orlando Rodrigues (PSD), e Maria Aparecida (PT).
Ausências dos vereadores Kleber (Kek) Lopes (PP), Rogério Medeiros (PMDB), e Antônio Silva (PR).

Os demais vereadores disseram SIM! ao aumento e aprovando também três emendas apresentadas.
Um delas, do vereador Andrey Pestana de Farias (PSD) reduz e escalona em 25% o aumento para pessoas jurídicas.

A outra emenda foi do vereador Rodrigo Moraes (PR) suprimindo a cobrança da chamada “Taxa em dobro” na temporada de verão (meses de jan/fev/mar/16), que veio se somar a outra emenda do vereador Roberto Alves (PP), implantando uma tabela acordada com a ACIL, CDL, Sincaval.

O vereador Orlando Rodrigues questionou o projeto e explicou seu voto contrário: 
“Ficou bem claro e evidente que o Projeto de lei foi feito em quatro paredes por uma única pessoa que tinha um único objetivo fazer um levantamento de alteração de custos, em valores, sem aqui apresentar para esta Casa quanto se arrecada mensalmente, quanto se gasta mensalmente, esse índice nós não temos”.

Já a vereadora Aparecida da Silva foi contra o Projeto dizendo: “Estamos num momento muito crítico. Qual o parâmetro que foi usado? O povo tá tendo que tirar dinheiro do bolso num momento que não tem”(...)
“Muita coisa está chegando errada aqui nesta Casa e não estamos podendo fazer nada”.
E completou: “Acho sim, tem que ser revistas muitas coisas, não só em relação à taxa de lixo. Temos que rever muitas coisas. Agora nessa forma, com esses parâmetros que está vindo para esta Casa, tendo que ser engolido de goela abaixo, não concordo com isso, por isso sou contrária”.

***

No plenário, houve quem dissesse que o Projeto de aumento não lhe convenceu.
E aí a gente pergunta: como assim, cara-pálida? Não convenceu e vota aprovando?

Informações que circulavam nos corredores e escadarias da Câmara, davam conta que a empresa que faz o recolhimento de lixo em nossa cidade estaria há cinco meses sem receber da prefeitura.

Bem. O prefeito Everaldo dos Santos pode agora vetar ou não as emendas apresentadas e aprovadas. 
Em minha opinião o prefeito deve vetar, com a Câmara não conseguindo votos suficientes para derrubar os vetos.

Cá pra nós leitor, não sejamos inocentes. Contar com os vetos do prefeito como forma de desgastá-lo politicamente junto à opinião pública nas eleições do ano que vem?
Santa ingenuidade Batman!

Alguém ainda acha que quem elabora um Projeto assim, de aumento em até 100% e o manda para aprovação, no afogadilho do fim de ano, está realmente preocupado com futuros desgastes políticos? 

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Secretário da Fazenda Luiz Paulo de Resende pede exoneração (pela 2ª vez)

Em caráter irrevogável, o secretário da fazenda e interino da administração do município, Luiz Paulo de Resende solicitou na tarde desta terça-feira (22), exoneração de seus cargos.

E sai atirando. Em carta aberta enviada ao prefeito Everaldo dos Santos, e publicada nas redes sociais, listou 17 considerandos. 

Alguns deles são de forte impacto, como por exemplo quando diz "que há divergência na condução administrativa neste governo e ainda hoje há pouco, insisto não consigo ser entendido por parte de Vossa Senhoria"; 

Em outro considerando, Luiz Paulo de Resende afirma "que todos os memorandos que envio ao senhor, desde 06 de março de 2015, apresentando um plano de emergências, com medidas rigorosas para o bom andamento deste governo, não foram sequer analisados e tão pouco executados";

Ou quando desabafa, queixando-se do ouvidor do município: "Tratou-me com a falta de respeito e dignidade na presença do colegiado e de vossa excelência no dia 17/12/15"; (...) "O ouvidor não tem preparo algum para exercer tal função".

O secretário Resende também se queixa de sua adjunta e faz séria denúncia: "Minha secretária-adjunta da Fazenda sequer aparece nesta secretaria para, pelo menos auxiliar-me ou dar um "bom dia".

***
Bem, com o teor da carta, o agora  ex-secretário Luiz Paulo de Resende, que já veio da administração anterior do PT de Célio Antônio, deve se juntar à "meia-dúzia" de descontentes na Laguna, de gente que só sabe criticar, de que tanto fala o prefeito pelos microfones das rádios, fazendo pouco caso do descontentamento da população com sua administração. 

Para ampliar e ler a carta na íntegra, basta clicar na imagem. Abaixo:


segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Separar o joio do trigo

Estamos presenciando, há meses, estupefatos, exemplos de maus brasileiros que estão a fazer jus - depois da comprovação da culpa e julgados - às grades da cadeia por longos anos. Maus brasileiros que merecem o escárnio e o nojo da população. Banidos para todo o sempre da vida pública.

Políticos, funcionários de carreira, ou nomeados que acham que levar o "por fora", em comissões, não é corrupção, "porque todo mundo faz". É parte do sistema, alegam sempre. Corruptos e corruptores.
Riem dos honestos, dos éticos, chamando-os de puros. Ou de otários; gargalham dos que sonham com um país, um estado, um município mais justo e perfeito.

Até que um dia, pegos com a mão na cumbuca e algemados pela polícia, acusados disso e daquilo, escondem a cara alegando que não sabem de nada, que desconhecem, que não participaram de nenhum esquema.
Enquanto isso a saúde, educação e segurança estão no ralo. Escolas caindo aos pedaços, professores e funcionários mal remunerados; saúde em frangalhos, faltando medicamentos, com pacientes sendo atendidos no chão de corredores ou, sem vagas, morrendo nas filas; e a violência atingindo índices alarmantes.

Ficamos estupefatos com tudo que vem sendo descoberto pela polícia e justiça e divulgado pelos meios de comunicação, ano após ano. Alastrando-se no país, por estados e municípios. Endêmica.

Que país é este? Já cantava e indagava Renato Russo há muitos anos.
Somente a sociedade organizada poderá por fim a tanta bandalheira.

Infelizmente grande parte dos eleitores por falta de informação ou por interesse individual continua reelegendo em todos os âmbitos, eleição após eleição, muitos canalhas, reconduzindo-os para os mais diversos cargos, quando deveriam varrê-los do cenário político. Quantos desses políticos verdadeiramente não possuem currículo, mas extensa ficha criminal?

Alguns políticos já deram mostras para que vieram. Só querem se locupletar. Impunes, continuam posando, alguns bem perto de nós, de paladinos da moralidade. E infelizmente sendo exaltados por alguns como exemplos de virtudes, de homens probos. Esses se merecem, farinhas do mesmo saco!


O Brasil é maior do que todos esses acontecimentos que atingem a moralidade pública da Nação  brasileira. Vai superar, mas precisa começar a separar o joio do trigo; a batata boa da podre. Urgentemente.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Há 65 anos era inaugurado o Cine Teatro Mussi

Na plateia, entre os espectadores, em 17 de dezembro de 1950, estava dª Ranúzia Lopes Barreiros, que hoje, aos 84 anos, no mesmo Cine Teatro Mussi, assistiu pela segunda vez ao filme de estreia, A Valsa do Imperador
Entre uma sessão e outra se passaram 65 anos.

Nesta noite de quarta-feira, numa promoção do SESC Laguna, o Cine Teatro Mussi apresentou o filme A Valsa do Imperador. Um bom público prestigiou o espetáculo da chamada sétima arte.

Testemunha ocular da história
Na plateia, entre os espectadores, estava dª Ranúzia Lopes Barreiros que assistia pela segunda vez a película, em sua vida de 84 anos.
Sim, pela segunda vez, mas com uma diferença de 65 anos entre uma sessão e outra, já que dª Ranúzia teve o privilégio de assistir a este mesmo filme em 17 de dezembro de 1950, quando da inauguração do Cine Teatro Mussi. Contava ela à época com 19 anos e acompanhava seu namorado (e depois eterno marido) o músico Aliatar da Silva Barreiros, crooner do Jazz Lagunense e do Big Trio.

Dª Ranúzia Lopes Barreiros, tendo ao fundo o filme
A Valsa do Imperador. 65 anos após a estreia e inauguração
do Cine Teatro Mussi.
Pois ontem à noite, sentada ao nosso lado, emocionada, relembrando os velhos tempos, ela narrava que semanas antes, a aguardada inauguração daquela casa de espetáculos dominava as conversas na Laguna. Todos esperavam com grande expectativa o evento.

Na noite de estreia e inauguração do Cine Teatro, as filas nas duas bilheterias davam voltas no quarteirão. A sociedade chic de nossa cidade estava toda lá, um verdadeiro desfile de moda. Um luxo! Bolsas, luvas, vestidos, ternos... passarela de riqueza da Laguna.

Padre Gregório Warmeling abençoou o prédio e as instalações, cuja pedra fundamental havia sido lançada em 30 de março de 1947, com início de sua construção em 4 de abril do mesmo ano. Projeto arquitetônico no estilo Art-Decó de Wolfang Ludwig Rau. Proprietários: os irmãos João, Carlos e Mussi Dib Mussi, que juntamente com o prefeito da Laguna Alberto Crippa cortaram a fita simbólica.
O hall da casa lotado, com a melodia A Valsa do Imperador sendo executada, e o filme a partir das 21 horas, acompanhada por jogos laterais de luzes coloridas (1.800 lâmpadas) que deixavam a todos maravilhados.

Diz o jornal O Albor que durante semanas todos os mil lugares (700 embaixo e 300 em cima) da platéia foram ocupados, em duas sessões realizadas diariamente.

Veio gente de todo o sul do estado e até da capital para conhecer a grandiosidade do Cine Teatro Mussi, que dali em diante vai ocupar os corações de gerações, de todos nós, tornando-se um centro cultural de grande valor para nossa cidade.


A valsa do imperador (The Emperor Waltz)
É um filme comédia musical do ano de 1948, com direção de Billy Wilder e estrelado por Bing Crosby e Joan Fontaine.
Foi filmado no Parque Nacional Jasper, nas Montanhas Rochosas, com o local se passando pelos Alpes tiroleses da Áustria.
Crosby, além de cantar a canção título, de Johann Strauss II.
O filme recebeu duas indicações ao Oscar, melhor figurino e melhor trilha sonora.

Sinopse 
O caixeiro viajante Virgil Smith (Bing Crosby) busca vender gramofones na Áustria antiga. Ele quer fazer uma dessas vendas para o Imperador Franz Joseph (Richard Hayden), mas os guardas do castelo pensam que ele está carregando uma bomba, o que gera muita confusão. É quando que ele conhece a Condessa Johanna (Joan Fontaine), e após alguns desentendimentos eles acabam se apaixonando - principalmente com ajuda de seus adoráveis e divertidos cachorros. Mas os austríacos não aceitariam nunca um amor entre uma nobre e um civil americano. E agora, o que esses apaixonados farão?


P S: O SESC/Cine Teatro Mussi apresentará novamente este filme no próximo domingo (20), às 20 h.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Banda Carlos Gomes – Inconcert de Natal

Próximo dia 19, sábado, às 21h, no Cine Teatro Mussi, a Banda Carlos Gomes apresenta o 4º Inconcert de Natal.

Ingressos a R$ 10,00, podem ser adquiridos com diretores da Banda.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Programação Sesc/Cine Mussi - Mês de dezembro/2015

Grande novidade para este mês de dezembro no Cine Mussi, é a (re)apresentação do primeiro filme exibido naquela casa de espetáculos, quando de sua inauguração em 17 de dezembro de 1950.
A Valsa do Imperador, um romance musical, será exibido em duas sessões. No dia 16 (quarta-feira) às 19h30m e dia 20, (domingo) às 20h. 

(Por que não, pergunto eu, programar para um dia depois, justamente em 17, para coincidir exatamente a data?).

É uma oportunidade rara de se assistir o mesmo filme no mesmo local, 65 anos após sua exibição de estreia inaugural do Cine Teatro Mussi. 
Quantos espectadores, com essa diferença de anos, repetirão a façanha?




sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Policial Militar da Laguna salva jovens de afogamento

Era para ser um passeio tranquilo para apreciar o mar, tomar um banho e se refrescar com a família, num dia quente. Mas em poucos segundos a calmaria virou desespero quando a adolescente A. de 16 anos e seu irmão T. 21 anos foram arrastados pela correnteza nas imediações da praia do Iró, na tarde desta quinta-feira (19). 

Uma guarnição da Polícia Militar, que passava nas proximidades, viu a movimentação e os pedidos de socorro. O irmão, que acompanhava a garota, não conseguiu salvá-la e acabou sendo levado pelas ondas.

Soldado Luiz Felipe Guedes 
acompanhou as vítimas até o hospital. 
O soldado Luiz Felipe Guedes Paines de Almeida entrou no mar, com o uniforme, retirou apenas seus equipamentos de trabalho (colete, cinto de guarnição e armamento) e não perdeu tempo em pensar muito. "Tive que agir rápido", contou.

Ainda fardado nadou até uma das vítimas, um homem de 21 anos, já próximo a um banco de areia, e prosseguiu o salvamento até a adolescente de 16 anos.
Um fraco vento nordeste prevalecia na tarde deste dia 19, com o mar agitado, a correnteza afastava a jovem cada vez mais da praia. 

Na areia, a torcida era grande. Uns olhavam com lágrimas nos olhos, outros gritavam mostrando para onde a força das ondas levava a jovem. A ação demorou 20 minutos. Nos braços do soldado, a garota saiu da água consciente e exausta. Chorando muito, chamava os pais, de mãos dadas com o seu salvador. 
Na areia, o soldado David Garcia Silva, acionou uma guarnição do Corpo de Bombeiro Militar da Laguna.

Passado o susto, vendo a jovem recuperada, quem precisou ser levado ao setor de emergência do hospital foi o soldado devido à falta de ar pelo esforço físico. Recomposto voltou à Guarnição e recebeu aplausos dos colegas. Luiz Felipe Guedes é de Alegrete (RS),. Aprovado em concurso está em nossa cidade há dois anos.
Soldados David Garcia Silva e Luiz Felipe Guedes.
Ao centro o comandante tenente-coronel Jefer Francisco Fernandes.
O comandante da Guarnição Especial de Policia Militar da Laguna, tenente-coronel Jefer Francisco Fernandes, recebeu em seu gabinete os policias militares envolvidos na ocorrência, enaltecendo o ato de coragem de bravura do soldado Guedes (à direita, na foto), por ter arriscado sua própria vida para salvar a vida do próximo, honrando a Instituição Policial Militar.

Perigo chamado “corrente de retorno”
Quem presenciou a cena descreveu que a jovem foi vítima de uma corrente de retorno. Segundo estatísticas do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, 80% dos afogamentos são provenientes deste fenômeno. 
O vai e vem de ondas no mar produzem um fluxo. Quando as ondas arrebentam na areia, a água que se acumula na beira da praia volta para o mar e, com isso, cria uma corrente de retorno. Na temporada de verão os salva-vidas costumam colocar bandeiras vermelhas na areia para indicar essas correntes perigosas. 

Os bombeiros alertam: caso o banhista fique preso em uma corrente, o mais importante é que ele mantenha a calma. Se ele souber nadar ou boiar, a corrente não vai fazer com que ele afunde. O ideal, segundo os especialistas, é nadar paralelamente à praia até encontrar algum banco de areia, onde ele consiga apoiar os pés no chão. A partir daí, é possível esperar as ondas maiores e nadar junto delas até a beira da praia.

Sinais e características das correntes de retorno: 
- Água marrom e descolorada, devido à agitação da areia do fundo, causada pelo retorno das águas;

- Água com tonalidade mais escura, devido à maior profundidade, sendo atrativas para banhistas desavisados;

- Água mais fria após a linha de arrebentação, significando o retorno de águas mais profundas;

- Ondas quebram com menor frequência ou nem chegam a quebrar, devido ao retorno das águas e à maior profundidade;

- Local onde ocorre a junção de duas ondas provindas de sentidos opostos;

- Local por onde o surfista experiente geralmente entra no mar;
Nas marés baixas, formam ondas do tipo buraco, alimentadas pela água em seu retorno;

- Pequenas ondulações na superfície da água, causando um reboliço, em virtude da água em movimento (pescoço da vala);

- Espuma e mancha de sedimentos na superfície, além da arrebentação, onde a vala perde a sua força (cabeça da vala);

- Ocupação de uma faixa maior de areia, devido ao maior volume de água, provocando uma sinuosidade ao longo da praia (boca da vala);

- Mais difíceis de serem identificadas em dias de vento forte e mares agitados;

- Mais evidentes em marés baixas;

- Perda da força de 5 a 50 metros após a linha de arrebentação.

Fonte: PML/Divulgação. Fotos: Divulgação Polícia Militar da Laguna

Monumento ao boto pescador

Poucos metros do habitat natural do boto pescador da Laguna, a lagoa Santo Antônio dos Anjos, nos Molhes da Barra, uma estátua da espécie marinha está chamando a atenção de quem visita o local. Feito em fibra náutica, o monumento mede cinco metros de comprimento e fixado sobre uma base de concreto. 
A inauguração será no próximo dia 24 (terça-feira), às 17h. 

Os recursos para construção e instalação do monumento foram destinados através de uma medida compensatória do Consórcio Ponte de Laguna.

Nesta quarta-feira foi retirado o material que envolvia a estátua para conferir como ficou o trabalho.
Declarado patrimônio do município, o boto pratica a pesca cooperativa com os pescadores. Todos os dias, turistas de várias partes visitam o canal da Barra para apreciar o fenômeno. 

Segundo a presidente da Fundação Lagunense do Meio Ambiente (Flama), Aline Trichês, “junto também será instalada uma placa com informações sobre o Boto”. Uma forma de ensinar sobre as características do animal marinho.
Uma lei municipal declara os botos como patrimônio natural da Laguna.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

19 de novembro - Dia em homenagem à Bandeira do Brasil



Data em homenagem à Bandeira do Brasil um dos símbolos da nossa pátria, e tão esquecida e vilipendiada nos últimos anos.
Antigamente era comum seu hasteamento em pátios de escolas e repartições públicas acompanhado da execução do Hino Nacional. Momento cívico a lembrar sempre que a cidadania se constrói no dia a dia. 
Bandeira exaltada, mas na maioria das vezes somente em jogos da Copa do Mundo e em Olimpíadas, quando torcedores a agitam e a enrolam em seus corpos, orgulhosos, sentimentais vertendo lágrimas passageiras. Esquecida a um canto ao final de partidas.

Quantos a colarão em seus perfis nas redes sociais no dia de hoje?
E a Ponte Anita Garibaldi nesta noite será iluminada com as cores da nossa Bandeira, a exemplo do que foi feito com as cores da França?

Salve! Salve! Lindo pendão da esperança!

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Deputados aprovam conversão das SDRs em Agências de Desenvolvimento

Na tarde desta terça-feira (17), os deputados catarinenses aprovaram por 31 votos a quatro o Projeto de Lei nº 260/2015, do governador Raimundo Colombo, que transforma as Secretarias de Desenvolvimento Regionais (SDRs) em Agências de Desenvolvimento Regionais (ADRs).

Foto: Miriam Zomer/Agência AL
De acordo com o projeto, serão extintos 106 dos 455 cargos comissionados e 136 das 468 funções gratificadas das SDRs, totalizando uma economia anual de R$ 5 milhões. “Não é com essa proposta que vamos descentralizar, a decisão que antes era na ponta da linha passa a ser centralizada”, criticou Fernando Coruja (PMDB).

Darci de Matos (PSD) discordou do colega. “Vamos continuar proporcionando a descentralização, economizando R$ 5 milhões da Fonte 100 por ano e mantendo as agências no interior do estado”, ponderou Darci. Valdir Cobalchini (PMDB) também defendeu o projeto do governo. “O PMDB não é contra a diminuição da estrutura. Se tiver de diminuir mais somos totalmente favoráveis, mas vamos continuar discutindo a questão de lotação dos servidores que ficam no limbo”, avisou Cobalchini.

Ana Paula Lima (PT) defendeu a extinção das SDRs. “Elas não atendem a comunidade e são um cabide de emprego”, garantiu. Luciane Carminatti (PT) também defendeu a extinção das regionais. “A maior redução é do poder de decisão. Antes as SDRs tinham 30 competências, agora serão apenas 13, os conselhos tinham nove competências, terão cinco. Se não vão decidir nada, para quê agência?”, perguntou Carminatti.

João Amin (PP) argumentou que as SDRs deveriam ser substituídas pelas regiões metropolitanas. “Em 2014, com as regionais já esvaziadas, foram gastos R$ 418 milhões com a manutenção das SDRs”, criticou João Amin. Leonel Pavan (PSDB) afirmou que as SDRs perderam a finalidade para a qual foram criadas. “Chegaram ao descrédito, não tiveram mais os recursos e os conselhos não se reuniram mais”, disse Pavan.


Cesar Valduga (PCdoB) repercutiu o relatório do Tribunal de Constas do Estado (TCE) sobre o desempenho das SDRs nos primeiros cinco anos de funcionamento. “Os gastos com a manutenção foram de R$ 638 milhões, são gastos desproporcionais aos investimentos e refletem o caráter conservador da política catarinense”, avaliou Valduga.

Hospital da Laguna emite nota de esclarecimento

A direção/administração do Hospital da Laguna ontem emitiu nota de esclarecimento à população, rebatendo declarações do prefeito Everaldo dos Santos em entrevista à Rádio Bandeirantes, de Tubarão.
A nota, assinada pela sua presidente Regina Ramos dos Santos e pelo administrador Carlos Alberto Batista é longa, explicativa, dividida em vários tópicos.

Visam esclarecer as declarações do prefeito, tais como:
Sobre o hospital “ser um poço sem fundo, necessidade de realizar auditoria nas contas do hospital; prestações de contas do hospital; terreno doado ao hospital pela prefeitura; e sobre a “suposta falta de serviço” entre o pessoal do hospital.
Para ler a Nota em sua íntegra, basta clicar aqui


De meia-dúzia em meia-dúzia... a vaca vai pro brejo

Sempre que confrontado com críticas a sua administração, o prefeito Everaldo dos Santos em entrevistas à imprensa e emissoras de rádios e TV, saca sempre do coldre seu bordão predileto:
 - Os descontentes não passam de meia-dúzia de pessoas na Laguna.

O grupo de meia-dúzia varia. Ora é meia-dúzia de desocupados que fica pelas esquinas somente criticando; às vezes é meia-dúzia que vive nas redes sociais fazendo fofoca. 
Na semana passada foi meia-dúzia de servidores da prefeitura chamada de folgados; ou meia-dúzia de professores que vive de atestado. Enfim, Everaldo escolhe o grupo conforme as circunstâncias.

Discurso cansativo
Esse discurso também já cansou, não cola mais, deu o que tinha que dar, até porque essa “meia-dúzia de seis” de descontentes a que se refere o prefeito está cada vez maior. A julgar pelo que se ouve nas ruas e "andam falando alto pelos botecos e gritam nos mercados que com certeza", e se lê nas mensagens das redes sociais.

Desastrada entrevista pra rádio de Tubarão
Ainda semana passada, na terça-feira, em entrevista por telefone a radialista Vera Mendonça, da Band, da vizinha cidade de Tubarão, o prefeito soltou o verbo, como todo já sabem.
Diz um ditado popular que roupa suja se lava em casa... mas o prefeito escolheu uma rádio da região, de cidade vizinha, para soltar suas críticas. Enfim...

Sobraram críticas e acusações pra muita gente, inclusive servidores municipais, e também à diretoria/administração do Hospital Senhor Bom Jesus dos Passos. 
Sobre o Hospital da Laguna, entre outras coisas, disse que “é um poço sem fundo” e “que há necessidade de uma auditoria nas contas, salários”.

Indignação
A desastrada entrevista foi reproduzida nas redes sociais e provocou – e nem poderia ser diferente - a indignação de muita gente, principalmente dos atingidos pela verborragia do prefeito. 
Jogou mais lenha na fogueira às vésperas de uma manifestação pacífica de servidores por atraso nos vencimentos. Protesto que aconteceu na quinta-feira e que reuniu mais de 300 pessoas pelas ruas da cidade, fato inédito na cidade Juliana.

Filmagens, fotos, entrevistas, reportagens em jornais e nos noticiários de televisão correram o estado e foram reproduzidas, obviamente, na internet.

Feita a bobagem, reconhecido o erro, começou toda uma pressão e aconselhamento político de alguns assessores e correligionários do PMDB para que de algum modo se estancasse a má repercussão da entrevista. Foi quando surgiu a sugestão de uma carta aberta. 
Cartas abertas parecem ter virado moda na cidade. Ontem a direção/administração do Hospital da Laguna emitiu mais uma. Assunto para o próximo post.

Carta aberta do prefeito
Nesta segunda-feira (16), quase uma semana após a polêmica entrevista, faltando dois minutos para meia-noite, uma carta aberta à população foi publicada no site da prefeitura e rapidamente reproduzida por algumas páginas de redes sociais.

Nela, o prefeito Everaldo pede desculpas aos servidores da prefeitura e diz que de "forma impensada usou termos desapropriados", "que em nenhum momento seu raciocínio era dirigido a todo o funcionalismo", "tampouco é a favor do fim da estabilidade".

E finaliza a carta do prefeito: “Reconheço, reitero e venho a público pedir perdão primeiramente a todos os funcionários públicos e, consequentemente, a toda a população de Laguna pelas palavras que geraram todo esse mal-entendido”.

Saliente-se que não há, na citada carta, pedidos de desculpas e perdão à diretoria/administração do Hospital. 

A carta de Everaldo dos Santos terá surtido efeito político? Só o tempo dirá. Diz a voz popular que palavra lançada e flecha atirada... 
Mas se retratar, pedir desculpas, é um direito de qualquer um, reconheçamos.
Terá o prefeito aprendido a lição? Duvido muito.

Repito que só o tempo irá responder porque até hoje, por exemplo, muitos ainda dizem por aí que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teria chamado os aposentados de vagabundos - expressão que ele realmente nunca utilizou. Pelo menos não dessa forma. Mas explorada pela oposição, a maldade colou como uma tatuagem em FHC.

****

Para ler a carta na íntegra do prefeito Everaldo, se o leitor tiver ainda paciência e curiosidade, basta clicar aqui

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Troca-troca na prefeitura

Portarias publicadas no Diário Oficial de hoje e assinadas pelo prefeito Everaldo dos Santos, exonera Grazielle Sitônio Duarte do cargo de secretário de Planejamento Urbano e Habitação e nomeia  o servidor Rodolfo Michels Godinho para a função.
Grazielle Duarte assume como assessor especial de Planejamento Urbano e Projetos.
Alguma costura política do prefeito com o presidente do Legislativo lagunense, vereador Roberto Carlos Alves (PP)?

***************************

Projeto que transforma as SDR’s em ADR’s será votado nesta terça

Nesta terça-feira, na Assembleia Legislativa, acontece a votação em turno único do projeto de lei nº 260/15 oriundo do Executivo estadual, transformando as secretarias de Desenvolvimento Regional (SDR’s) em ADR’s (Agências de Desenvolvimento Regional).

O projeto ainda prevê a extinção da Regional da Grande Florianópolis, as extinções de 106 dos 455 cargos comissionados, e 136 das 468 funções de chefia ocupadas por servidores de carreira.

sábado, 14 de novembro de 2015

Membros do PMDB estão descontentes com o prefeito Everaldo. Mas só agora?

Alguns filiados do PMDB lagunense, membros inclusive de sua Executiva, querem tomar uma atitude em relação ao prefeito Everaldo dos Santos. Não está descartada uma carta aberta à população demonstrando o descontentamento do partido com os rumos da atual gestão.
Será na linha dos famosos “considerandos” feitos também em carta pela vice-prefeita Ivete Scopel?

Por que só agora, após três anos, o PMDB poderá tomar essa atitude? Onde estava o PMDB esse tempo todo? 

O PMDB da Laguna, partido do prefeito e por qual ele foi eleito, nunca foi devidamente prestigiado pelo primeiro mandatário lagunense.
Os filiados se queixavam, mas as reclamações quase sempre eram intramuros, cochichadas entre eles.

Nas conversas com o prefeito, frente a frente, poucos tiveram ousadia de reclamar, de cobrar maior participação do partido nas decisões administrativas. Os poucos que reclamavam diziam que o prefeito não lhe dava ouvidos. (E ele ouve alguém?). Outros silenciaram com receio de retaliações. 

Muitos filiados do PMDB também se queixam de nomeações pra cargos na prefeitura de pessoas estranhas ao partido e que nem apoiaram Everaldo. 
O que é uma verdade. Há importantes cargos nas mãos de indicações principalmente do PP; do PR e até do PT, partido oposicionista nas eleições de 2012.
Trocas-trocas e nomeações continuam acontecendo, inclusive com nomes de fora da cidade. 
Há filiados dizendo que vão se licenciar do partido ou até se desfiliar. Alegam desprestígio partidário.

Reclamações vão se avolumando
A verdade é que a pressão popular é muito grande. As reclamações da população por causa da má gestão nas áreas da saúde, educação, segurança e infraestrutura vão se avolumando, além de manifestações de servidores por atrasos em pagamentos, etc..

A entrevista desastrada do prefeito a uma emissora de rádio de Tubarão (e que corre nas redes sociais) extrapolou o bom senso e mostrou despreparo, desespero político. Faltou com respeito aos servidores municipais e à diretoria do Hospital. 

Gritar aos microfones não convence mais ninguém. O tempo do palanque já passou há muito tempo. Papo de infância humilde, rapaz latino-americano vindo do interior, ser contra as elites, etc. tornou-se maçante. Não cola mais.

Muitos membros do PMDB lagunense e candidatos à vereança ano que vem já perceberam a realidade e sabem que não dá mais para segurar o rojão, defender a atual administração. Virou queimação de filme. Ou melhor, de votos.

Vejamos. Nelson Abrahão Netto foi o último prefeito do partido ( anos de 1989 a 1992), logo o PMDB da Laguna levou 20 anos para assumir novamente o poder em nossa cidade.

Se a situação continuar como está e até piorar, o que é bem provável, o PMDB lagunense corre sério risco de não continuar governando o nosso município nas eleições do ano que vem. Vai morrer politicamente abraçadinho. 

Seja com que nome for à prefeitura. 

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Todos os vereadores agora querem falar. Quer dizer, quase todos

Na sessão da Câmara de vereadores de quarta-feira última deu-se um fato inusitado. Dos 13 vereadores presentes, 12 deles fizeram uso da palavra, inclusive o presidente da Casa. Nunca antes na história da Laguna, para usarmos um chavão, os microfones daquela Casa Legislativa foram tão utilizados.

Os vereadores manifestaram-se usando a tribuna ou em suas explicações pessoais. Só um deles não se pronunciou, não disse nada, só ouviu. Rogério Medeiros (PMDB).
Mas isso não é novidade, porque quase sempre este vereador entra mudo e sai calado. Quem acompanha as sessões da Câmara sabe disso. Dificilmente ouve-se sua voz. Será timidez?
Pode até ser a causa, mas que ele presta muita atenção, lá isso ele presta.

Clima pesado

Na noite de quarta sentia-se o clima pesado no ar na Câmara de vereadores. Havia motivos . Com salários atrasados, sindicato dos servidores tinha marcado manifestação pelas ruas da cidade para o dia seguinte, quinta-feira, o que de fato aconteceu. E uma entrevista desastrada do prefeito Everaldo dos Santos a uma emissora de Tubarão colaborou para tornar o clima ainda pior. Jogou gasolina na fogueira.

Pulando fora do barco?

A verdade é que a pressão popular em cima dos vereadores está sendo muito grande. As reclamações da população por causa da má gestão nas áreas da saúde, educação, segurança e infraestrutura vão se avolumando e sobra, evidentemente, para os representantes eleitos pelo povo.

Muitos vereadores, que pra bobos não servem e dão nó em pingo d’água, já perceberam a realidade e sabem que não dá mais para defender a atual administração. Virou queimação de filme. Ou melhor, de votos.

A melhor estratégia é pular fora do barco o mais rápido possível, antes que morram abraçados politicamente nas eleições municipais do ano que vem.

Três mosqueteiros

Três vereadores da Câmara da Laguna, Andrey Pestana de Farias (PSD), Dudu Carneiro (PP) e Zezinho Siqueira (PT), vamos ser justos, sempre se levantaram e usaram os microfones para fiscalizar, alertar, contestar e criticar atitudes, projetos e tomadas de decisões do Executivo.
Por seus comportamentos e discursos eram chamados de pessimistas ou de meros oposicionistas tentando desestabilizar a atual administração com vistas aos seus próprios interesses eleitoreiros.

Os fatos últimos estão a demonstrar que eles cumpriram e cumprem verdadeiramente seus papéis para os quais foram eleitos.

Defensores do Everaldo agora o criticam

Maioria dos vereadores, e desde o início dos atuais mandatos, era defensora inconteste do prefeito. Essa maioria aprovava todos os projetos, o elogiava sempre e não havia espaço para críticas. Alguns desses vereadores tornaram-se, inclusive, secretários municipais. Quer dizer, conhecem o sistema por dentro. Estiveram lá.

Excesso de voto de confiança sempre dá no que dá

Havia até quem sempre repetia o mantra de que “era preciso dar um voto de confiança ao prefeito”. Fosse em que situação fosse.
Por não se fiscalizar, contestar e criticar, chegou-se ao péssimo quadro atual. A atual administração de Everaldo dos Santos está num beco sem saída, inclusive com inúmeras ações na justiça, fruto de má gestão e algumas trapalhadas.  
No que vai dar? O tempo dirá.

Enquanto isso a Laguna ó...