quinta-feira, 31 de maio de 2012

Essas coisas acontecem

Esta história se sucedeu, há algum tempo, com dois conhecidos jovens lagunenses.
O fim de semana prometia. Haviam marcado encontro para àquela manhã de sábado, no jardim Calheiros da Graça.
Apesar de ter acontecido nos dias atuais, quando não se usa mais o namoro e onde ficar é moda e a sobremesa vem antes do bolo, os hoje chamados “ficantes” mesmo assim precisam de algumas preliminares. Um ou dois encontros para pelo menos conferir o hálito e ouvir a voz.
Dos cincos sentidos humanos pelo menos três tem que bater antes de tudo: a visão, o olfato e a audição. Sem esses quase sempre a coisa não evolui, não decola, não anda. Já o tato e o paladar podem ser conferidos mais tarde e farão parte das descobertas e entrarão no rol das surpresas do “pega”.

Mas como ia dizendo, se encontraram no jardim.
A manhã estava radiante, outonal, como essas que estão fazendo neste final do mês de maio, início de junho. Pardais ciscavam num alarido o chão da praça e as primeiras folhas secas partiam-se dos galhos e num bailado silencioso vinham depositar-se ao solo.
Eles sentaram-se naquele banco bem defronte à Pizzaria Chedão.
A conversa ia animada, em opiniões e sorrisos. Ele falava sobre assuntos da Laguna, barzinhos, contava sobre fatos e acontecimentos, bandas de músicas e sons. Ela atenta e alegre o ouvia e também participava externando suas opiniões, sobre baladas e modas.
Alguns minutos depois ela sentiu o primeiro desconforto, mas desconsiderou. Hoje amargamente se arrepende e confessa:
- Deveria ter ido embora naquele exato momento, inventado um compromisso qualquer e vazado.

Enquanto ele continuava falando, ela já se remexia no banco de pedra, nervosa, angustiada. O fato é que seus intestinos estavam fisiologicamente em polvorosa e o barulho de internas bolhas estourando era disfarçado por uma tosse seca ou pelo ronco dos escapamentos de motos e carros que transitavam pelo local.
Ele percebeu seu desconforto, algumas gotas de suor no rosto, uma estranha palidez. Indagou. Não sem antes pensar que o motivo era seu papo que não estava agradando. Bem por isso trocou de assunto, contou uma piada qualquer e perguntou por um gosto dela.

Ela já respondia monossilábica, catatônica, seu pensamento estava ao longe em busca das causas de tudo aquilo. Terá sido nervosismo pela ocasião? Um X Salada que comeu na noite anterior? Ou um pequeno pão de batata propositalmente oferecido por uma colega sua vizinha e que, sabendo do seu encontro quis estragar a festa, àquela invejosa?
Por fim não havia mais tosse nem barulhos de veículos que resolvessem. Ela, sentada, alternava as bandas, cruzava as pernas, encolhia-se.
Em vão.
O apito saiu fino e estridente num longo e persistente silvo, onomatopéico, tipo quando se esvazia um balão. Para piorar naquele exato momento fez-se sossego nas ruas e em todo o jardim, num silêncio somente quebrado, coincidentemente, pelo cantar de um conhecido pássaro:
- Bem-te-vi!

Ela conta:
- Só podia ser conspiração. Queria me enfiar num buraco, virar uma ameba, morrer!
Ele a observou - não sem antes trancar a respiração - por alguns momentos. Ela nem o olhava, envergonhada. Finalmente, quebrando o gelo, ele disse:
- Essas coisas acontecem, não se deve segurar, faz mal.

Pois bem leitores, nem precisa salientar que tudo acabou ali mesmo, não houve mais papo, nem troca de olhares, nem sorrisos. O romantismo foi pro espaço, a massa de bolo desandou, audição e olfato prejudicados. Despediram-se rapidamente.

Hoje ela ri ao contar a história, mas ao final sempre diz:
- Cara, quando o encontro na Laguna finjo não vê-lo, troco de calçada, de ambiente, mas ele sempre faz questão de me cumprimentar,  mesmo ao longe, sorrindo por de trás daquela cara sacana. Ele me goza, eu sei.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Quando serão instaladas as câmeras de segurança?

Essa novela de instalação de câmeras de segurança em nossa cidade já vem de longe, do ano de 2005 para sermos exatos, e os capítulos são muitos. Já foi gasto muita tinta em manchetes, textos em jornais, releases distribuídos à imprensa e promessas em programas de rádios, mas até agora nada.
Dizer que o atraso deve-se “à complexidade do projeto”, não é simplório demais? Que processo licitatório é esse tão demorado? Quais são os entraves? Houve questionamento na justiça por parte de alguma empresa?
Por que para Laguna tudo é tão difícil?

Imbituba foi pioneira, em dezembro de 2010, e o sistema hoje está em ampliação, com mais duas câmeras em Nova Brasília. Estão previstas mais três na Praia do Rosa e uma no bairro Vila Nova. E isso que o governo de lá é do PSDB.
Em Garopaba os equipamentos foram instalados em janeiro deste ano.
Em São Ludgero e Braço do Norte as câmeras já estão em funcionamento.
Em Capivari de Baixo um circuito de 10 câmeras de segurança já está instalado e em fase de testes.
E na Laguna? Quando serão instaladas?

Dizia o site da prefa, em 05/01/2012:

“O Governo Municipal realizou nesta quinta-feira, dia 5, a licitação para implantação do sistema de monitoramento, via câmeras, de prédios e praças públicas do centro histórico de Laguna.
O edital de licitação prevê a aquisição de 18 câmeras de monitoramento, rádios de comunicação, postes para fixação das câmeras, estação de trabalho, monitores, computadores, sistema de armazenamento de imagem, configuração, testes, treinamento dos guardas municipais e manutenção de doze meses. Será instalado um Circuito Fechado de TV (CFTV).
O sistema facilitará o monitoramento dos principais prédios históricos, praças, ruas, bem como, fornecer segurança aos moradores.
O projeto foi idealizado através de um convênio com o Ministério da Justiça, através da Secretaria de Direito Econômico - Conselho Federal Gestor do Fundo de Defesa de Direitos Difusos”.

O valor do repasse é de R$ 400.000,00, com contrapartida do município de R$ 75.534,86”.

Já o convênio com o governo do estado, que prevê 10 câmeras, foi assinado em outubro de 2011.
E dizia o site da prefeitura, em 04/10/2011:

“Com a assinatura do convênio, a próxima etapa é o lançamento dos editais para definição das empresas que instalarão os equipamentos e farão sua manutenção. As câmeras começam a ser instaladas a partir de dezembro e a previsão é de que estejam em funcionamento até o final do verão”.

Entrou verão, terminou, já estamos no outono daqui a pouco o inverno e o sistema de monitoramento ainda não foi instalado. Quando será?

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Moradores de Itapirubá querem pertencer a Imbituba e não a Laguna

Jornal Notisul desta segunda-feira traz matéria sobre uma reunião acontecida com o prefeito de Imbituba Beto Martins, na qual moradores de Itapirubá querem pertencer ao vizinho município e não a Laguna.
Há duas semanas decisão unânime da câmara de direito público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC) decidiu que a demarcação dos limites territoriais entre as duas cidades, no balneário de Itapirubá, deve ser pautada pela lei de 2007, o que aumentou o território da Laguna.

Conforme o previsto na Lei 13.993/2007, a linha divisória territorial válida e legal existente entre Laguna e Imbituba, ficou assim definida:
Inicia na lagoa do Mirim (c.g.a. lat. 28°19’27”S, long. 48°45’19”W), segue por linha seca e reta passando pela parte sul da ponta Rasa (c.g.a. lat. 28°19’41”S, long. 48°44’39”W), até encontrar a parte sul da ponta Itapirubá (c.g.a. lat. 28°20’27”S, long. 48°42’21”W).
Aproximadamente duas mil pessoas serão impactadas pela decisão da justiça.

“A contestação do prefeito de Imbituba, José Roberto Martins (PSDB) pauta-se na ação direta de Inconstitucionalidade das leis estaduais 11.340/2000 e 13.993/2007, proposta em 2010 pelo Ministério Público catarinense, na pessoa do então procurador de justiça Raulino Jacó Brüning. O TJ, na ocasião, julgou a ação improcedente. Contudo, não existe acórdão publicado desta decisão”.
***
O trecho entre Laguna e Imbituba, está em discórdia há muitos anos.
Pois agora surge esse movimento pró-Imbituba. Só faltava essa. O movimento existe, é óbvio, porque os moradores estão descontentes com o atendimento e serviços públicos não prestados adequadamente por parte da prefeitura lagunense.
Já perdemos toda a região de Pescaria Brava que se emancipou e virou município; a região da chamada Ilha (Barra, Farol, Campos Verdes) qualquer dia se emancipa ou Tubarão ou Jaguaruna leva de vez; Sertão da Estiva quer ir para Capivari de Baixo; Itapirubá quer se bandear para Imbituba. Daqui a pouco Laguna vira somente o Centro tombado e o Mar Grosso. E olhe lá.

Para ler a matéria clique em:

domingo, 27 de maio de 2012

Neimar de Barros marcou época

Quem está aí pelos cinquenta anos lembra bem. Neimar de Barros arrastava multidões. Era o mais popular pregador leigo católico da década de 70, 80.

Nasceu em Corumbá e filho de militar veio para São Paulo após seu pai ser transferido. Teve tuberculose aos 16 anos. Com 21 anos já era redator na Rádio Nacional. Em seguida começou a trabalhar com Sílvio Santos. Criou e produziu vários programas de grande audiência, entre eles o Cidade contra Cidade, que Laguna participou em 1977.

Até 1971 era ateu, quando participou de um encontro religioso. Converteu-se ao catolicismo e começou a escrever livros. Foram mais de 10 obras que venderam milhões.
E começou a pregar. Foram 14 anos. Visitou praticamente todas as cidades do Brasil. Enchia ginásios, teatros e clubes.
Esteve também na Laguna no começo dos anos 80 e lotou o Clube Congresso, onde proferiu palestra e autografou seus livros.

Orador brilhante fez a cabeça principalmente da juventude católica. Lembro-me bem que Neimar de Barros era a nossa leitura preferida, dos  membros da Juventude Católica – JUC, que se reuniam ali nas dependências do prédio dos Vicentinos e também do pessoal da Juventude Unida dos Magalhães – JUM, tendo à frente o nosso conhecido José Alves Fernandes, o Mala; e José Nazareno Duarte, o Pisca.
Líamos as poesias e escritos de Neimar de Barros que serviam para discussões literárias e análises comportamentais e filosóficas. E tínhamos somente, sei lá, 14, 15, 16 anos! Mas éramos politizados e preocupados com questões sociais.
“Deus Negro”, “Quantos Anos você tem?” e “Não tenho tempo” arrancavam emoções e lágrimas, e eram declamadas pelo autor em programas de TV e rádio.

Em 1986 Neimar de Barros concedeu uma entrevista à revista Veja, afirmando ter sido um espião da maçonaria internacional infiltrado na igreja para descobrir podres e repassar informações.
Ninguém entendeu nada e a maioria de seus admiradores não acreditou na história. A entrevista foi atribuída ao estresse e desilusões. Por causa da repercussão negativa foi viver na Argentina. Com a popularidade perdida, na década de 90 virou protestante e voltou ao SBT até 2006. Sofria de Alzheimer desde 2004.
Neimar de Barros morreu por falência de órgãos, aos 69 anos em seis de maio último. Vai ficar na história.
Abaixo, links com Neimar de Barros declamando seus principais textos:


sábado, 26 de maio de 2012

Baú do Marega

Amigo Antônio Carlos Marega, a quem prezo muito e sou eterno admirador, criou há algumas semanas um Blog.
A página está só no começo, em fase de montagem e primeiras postagens.

No Blog Baú do Marega, ele, um apaixonado pela nossa Laguna, suas ruas e pessoas, vai abordar a história da nossa cidade.
Marega, pesquisador, colecionador, historiador e possuidor de um extraordinário acervo histórico lagunense, bem merece homenagens de todos os lagunenses.
É por ele que procuram os estudantes, escritores e pesquisadores quando buscam informações mais aprofundadas da nossa história.
É dotado de uma memória prodigiosa. Para quem aprecia é um grande prazer ouvir o Marega, principalmente a história não oficial, os causos que não se encontram registrados nas páginas de livros e jornais antigos.

Quando o encontro e o visito torno-me ouvinte atento, a absorver tantas histórias. Trocamos opiniões e materiais, abordamos reminiscências e curiosidades. Sou e serei sempre credor de todas as suas valiosas informações.
Que ótimo que ele abra o seu baú e de lá extraia toda a riqueza armazenada: moedas de ouro nas lembranças de nossos antepassados; mapas indicando tesouros perdidos e esquecidos injustamente; fotos antigas e desbotadas pelo tempo registrando um passado que não volta mais.

Vamos todos incentivar para que ele registre na internet fatos e fotos e, principalmente, biografias de personagens da nossa história.
Prezado leitor, entre em seu blog, deixe comentário, o incentive através de e-mail.
Ganhará Laguna, ganharemos todos nós, nas lembranças e pesquisas feitas pelo Marega, a quem deixo um fraternal abraço, além de um beijo na dª Solange, por quem eu e a Julita nutrimos um carinho especial.

O endereço está aqui e também o link no lado direito deste blog.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Suspirando e gemendo


Venho pelo calçadão da rua XV de novembro (se é que aquilo pode se chamar de calçadão). À minha frente, a alguns passos, dª Zulma Sant’Anna, vocês todos conhecem, uma das batalhadoras da Casa da Sopa e do Centro Espírita, não tem?
De repente, com um grande suspiro, dª Zulma senta-se rapidamente numa das cadeiras de plástico ali existente na parte externa de uma lanchonete.
Preocupado, pensando que ela podia estar sentindo algo, logo perguntei:
- Algum problema dª Zulma, posso ajudar?
Ela rapidamente, com um sorriso estampado responde:
- Nada não meu filho, obrigada, está tudo bem. É que velho não pode ver uma cadeira vazia que vai logo sentando, gemendo e suspirando.

Corpo-a-corpo


Radialista João Batista Barreiros, líder em audiência no rádio-jornalismo lagunense, no fim do mês está deixando seu programa Jornal da Comunidade, pela Rádio Vitória, das 12 às 13 horas e vai se dedicar de corpo e alma – e bota corpo nisso – às eleições, já que é pré-candidato a vereador em outubro próximo.

Um portal que Laguna merece

Amigos Renato Souza e Márcio Moreira, criaram esta semana um site Portal Turístico denominado DESCOBRIR LAGUNA, que nossa cidade vinha merecendo há tempos.
Como registrou o Renato:

“Um portal turístico e de serviços para cidade. Como em uma enseada onde podemos abrigar nosso barco da tormenta, o portal DESCOBRIR LAGUNA chega de forma humilde e respeitosa a todos os moradores e turistas que pela terra de Anita passam todos os dias, trazendo uma proposta de informação e referência turística de nossa terra querida. Um lugar para repousar, se divertir, fazer compras e principalmente situar-se com nossa gente”.

Longa vida ao site e que ele possa suprir com informações todos àqueles que já conhecem Laguna ou que queiram visitá-la.
Para acessá-lo, basta clicar no link abaixo, e não precisa nem dizer que ele já está registrado no lado direito deste blog.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Seja bem vindo


Viu? Foi fácil.
Pois é, estamos neste novo espaço, como você está vendo e lendo. Mais dinâmico, com endereço de contato e interagindo com comentários e reações dos leitores, logo após os textos publicados. 
Não esqueça - se gostar do blog - de adicionar em seus favoritos. Aos amigos bloguistas, favor alterar o link em suas páginas.
É aqui, e a partir deste instante, que vamos recomeçar a escrever e a se encontrar.