terça-feira, 28 de maio de 2013

Querem a grandiosa estátua de Santo Antônio dos Anjos? Antes cuidem do Morro e de Nossa Senhora da Glória que estão abandonados

Na próxima sexta-feira, 31 de maio, a Estátua de Nossa Senhora da Glória completa 60 anos. Quem lembra?
 

Veja e constate tristemente o estado em que se encontra atualmente o topo do Morro da Glória. Fotos feitas semana passada.
O mirante (na verdade um feioso muro de arrimo) para o lado do centro da cidade não mais existe. O turista para observar e fazer uma foto tem que entrar pelo mato e correr o risco de despencar do barranco. Mato que também toma conta da área ao redor da imagem de Nossa Senhora da Glória e da estrada de acesso.

Agora leitor, de que adianta falar em turismo, promover seminários, gastar em publicidade, se nem o básico é feito? Se nossos pontos turísticos estão abandonados? Divulgar uma realidade que não existe não é fazer publicidade enganosa?
Um guia turístico me confessou dia desses:
- Tenho vergonha e medo de trazer turistas até aqui no morro, nem sei mais o que digo.
É o caso de dizer aos governantes: Querem a estátua de Santo Antônio dos Anjos? Primeiro cuidem do Morro e de Nossa Senhora da Glória que estão abandonados.

Durante muitos anos, principalmente nas décadas de 50 e 60, as famílias lagunenses, aos domingos, para lá se dirigiam fazendo seus churrascos e os chamados piqueniques. Mesas e churrasqueiras lá foram instaladas. Depois, com o passar dos anos, o local foi praticamente abandonado e caiu no descrédito, com a construção de boates de frequência duvidosa. Caiu em descrédito o morro, obviamente não a Imagem de Nossa Senhora da Glória, que continua erguendo seus braços sobre a cidade e protegendo seus habitantes. À noite é como um farol a iluminar na escuridão os possuidores de fé.
Além do contato direto com a natureza, o visual sempre foi incrível, deslumbrando a todos com a visão da cidade, dos morros que a circundam e das Lagoas Santo Antônio e Imaruí, além da desembocadura do Rio Tubarão, Molhes e Balneário Mar Grosso.

Mas muito pouco foi feito para seu real aproveitamento de uma forma ampla. Quero crer que todos os candidatos à prefeitura da Laguna, vencedores ou não de eleições, incluíram o Morro da Glória e a imagem da Santa em seus projetos de governo nas campanhas eleitorais.

Falaram em parque ecológico e até teleféricos ligando o centro histórico ao topo do Morro e dali ao Molhes. Para ludibriar eleitores incautos vale tudo.
O modismo nos últimos anos é a promessa de criação de trilhas ecológicas.
Até hoje nada foi realizado pelos governos que se sucederam nas últimas décadas na Laguna.
Abandonado, o local tornou-se perigoso, sem segurança e até assaltos já foram registrados.
Muito triste. E vergonhoso.

***
Nossa Senhora da Glória - Histórico
A imagem de Nossa Senhora da Glória, idealizada pelo saudoso Padre Gregório Warmeling, foi inaugurada em 31 de maio de 1953, tendo como escultores Alfredo Itaege e dona Elisa Faccio Itaege, de nacionalidade berlinense, residentes em Guaporé, RS. 
Escultores Alfredo Itaege e Elisa Faccio Itaege.

 
Alfredo Itaege com 72 anos era formado na Escola de Belas Artes de Berlim, tendo trabalhado como escultor na Rússia, Egito, Argentina e Brasil. É dele a fachada do então Banco Nacional do Comércio de Porto Alegre, e a imagem de N. Sª de Fátima, em Cruz Alta-RS.

Detalhes: A concepção da imagem foi do próprio artista. A imagem tem 8 metros, o pedestal tem 14 metros, as nuvens 2 metros as dimensões entre os braços é de 4,80 metros.

Saudoso Oscarlino Fernandes abraça o braço esquerdo
da Santa para mostrar a proporção.


A obra foi executada pelas Congregações Marianas e grande número de idealistas generosos. O financiamento do circuito da Glória foi feito por Francisco Fernandes Pinho. Engenharia a cargo de Colombo Machado Salles, com a rede elétrica instalada pela prefeitura da Laguna.


Informa sobre o evento a Revista Cidade de Laguna, editada em junho daquele ano:
“Durante a missa campal, abrilhantada pelo Coro da Matriz, usou da palavra o Pe. Dionísio da Cunha Lauth, Diretor do Ginásio S. Coração de Jesus, de Tubarão. Presentes, o prefeito municipal, Dr. Paulo Carneiro, presidente da Assembléia Legislativa, Dr. Volney Colaço de Oliveira, representante da Rádio Difusora da Laguna, Arquimedes de Castro Faria, Madre Egídia promicial da Congregação das Irmãs  da Divina Providência, representada pela Superiora do Colégio Stela Maris, dentre outras autoridades”.
E continua o redator:
“Após a missa usaram da palavra Dr. Paulo Carneiro e Dr. Volney Colaço de Oliveira, que em improvisos brilhantes elevaram o nome de Laguna com esse monumento colocado dentro de uma natureza privilegiada.
Foi notável a apoteose com a iluminação às 19 horas, correspondida por fogos, girandas e grande número de carros, fanfarra dos Escoteiros, bandas de música, reunidos na praça da Matriz, dada a impossibilidade de acesso do morro da Glória, devido às chuvas. Esta saudação foi correspondida por todas as capelas da Paróquia e Imbituba.
Um transatlântico em alto mar correspondeu a saudação”.

Músico lagunense Murilo Ulysséa, pianista, à época compôs letra e música de uma valsa em homenagem a Nossa Senhora da Glória:

I
“Lá no alto do morro imponente
A imagem da virgem angelical
Ostenta seu esplendor onipotente
Numa auréola de luz celestial.
A cidade aos seus pés ajoelhada
Contrita, suas preces lhe envia,
Enquanto lá do céu em revoada,
Os anjos vêm lhe fazer companhia.

II
Nossa Senhora da Glória,
Oh! Santa tão milagrosa,
Abençoai esta terra
Hospitaleira e bondosa.
À noite brilhando refletes,
Sobre tua fronte de bondade
Três fulgurantes estrelas:
Fé, Esperança e Caridade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário